Gémeos podem ter passados diferentes

Publicado em por

Gémeos podem ter passados diferentes

Sim, esta situação pode acontecer, mas apenas com gémeos fraternos ou “falsos”, uma vez que não partilham o mesmo ADN.  

Os testes ancestrais funcionam, na medida em que, existe um acompanhamento das diferenças de ADN ao longo do tempo entre as pessoas. Estes testes recuar no tempo porque o ADN mudou e muda gradualmente ao longo dos anos. Por exemplo, quando as células copiam o nosso ADN, nem sempre o fazem de forma perfeita. Estes erros, são denominados por “mutações” e nem todos têm as mesmas mutações no seu ADN.

De um modo geral, pessoas da mesma parte do mundo tendem a ter as mesmas mutações genéticas no seu ADN do que pessoas de lugares diferentes. Isto acontecia mais no passado pois a população não se movimentava tanto como o fazem nos dias de hoje. O que aconteceu com o ADN numa parte do mundo ficou nessa parte. Quer isto dizer que diferentes grupos criaram diferentes conjuntos de mutações ao longo dos tempos.

Imagine que o seu ADN é como um livro. Antigamente os livros eram copiados à mão por monges em mosteiros, mas apesar de serem transcritos cuidadosamente às vezes surgiam erros. Agora imagine que esse livro erradamente copiado se tornava o modelo para fazer novas cópias. Todas as cópias seguintes teriam esse novo erro. O mesmo acontece com o ADN! Quando há um “erro” ou mutação no ADN que é passado para uma criança, então essa criança terá essa mutação.
As pessoas que compartilham ancestrais da mesma parte do mundo são mais propensas a ter as mesmas mutações no seu ADN.

ancestralidade_gemeos

Uma mistura de mãe e pai

 

Imagine novamente o cenário do monge que copiou o livro com alguns erros. E que vários monges desse mosteiro levaram consigo uma cópia do livro e encontraram novos mosteiros no país.

Quando chegaram às suas novas casas, começaram a copiar os seus manuscritos com diligência. E cada um deles fazia os seus próprios erros. Agora, cada livro já não era mais o mesmo. Isto é semelhante ao que acontece com o nosso ADN. As pessoas que vivem numa aldeia de uma parte do país poderão ter algumas diferenças no seu ADN em comparação com as pessoas numa vila próxima.

Você recebe metade do seu ADN da sua mãe e metade do seu pai. Então, a sua mãe tem as suas diferenças específicas da "aldeia" e as suas diferenças específicas do país. O seu pai tem a sua própria "aldeia" - diferenças específicas, mas compartilha as suas diferenças específicas "em todo o país".

 

O ADN não é transmitido de geração em geração num único bloco, ou seja, nem todos os filhos recebem os mesmos 50% do ADN da mãe e 50% do ADN do pai. (A não ser que sejam gémeos idênticos).

Uma forma de pensar sobre isso é imaginar que o seu ADN é um monte de bolinhas coloridas e que diferentes cores significam diferentes ancestrais.

Imagine que um homem do Japão se casa com uma mulher da Europa. O seu ADN passa a ser 100% europeu e seu 100% asiático. Então as bolinhas vermelhas seriam europeias e as azuis as asiáticas.

Gemeos_adn_1

 

Quando esses dois pais têm uma criança, essa criança receberá uma metade aleatória de bolinhas da mãe e metade aleatória do pai. A criança poderá ser assim:

crianca_adn_1

Esta criança é 50% europeia e 50% asiática. Aqui está o aspeto do irmão desse filho: 

crianca_adn_2

Neste caso, pode ver que cada criança realmente compartilha a mesma ascendência, embora tenham um ADN diferente de cada pai. Eles são, cada um,50% europeus e 50% asiáticos. Este é o resultado se os pais são 100% de uma determinada etnia. 

 

Pretende saber mais sobre os nossos testes ancestrais, consulte a nossa página  - Teste Ancestral de ADN

 

 

Comentários: 0

Este tema encontra-se fechado. Não podem ser adicionadas mais respostas.