Imprimir

Blog

Blog, Noticias, Legislação e Recursos para testes de ADN - Código ADN
Mostrar conteúdo actual em RSS feed

Blog, Noticias, Legislação e Recursos para testes de ADN - Código ADN

Recursos, Noticias, legislação e curiosidade sobre teste de adn e paternidade. Avanços na genética e nos testes de adn disponibilizados ao consumidor final. 

teste de paternidade


51 - 60 de 122 resultados
Publicado em por

Devo fazer a recolha de ADN em casa ou numa clínica?

Ler contributo inteiro: Devo fazer a recolha de ADN em casa ou numa clínica?

Se está a considerar fazer um teste de paternidade/ teste de adn de vinculos biológicos tenha consciência que os resultados do teste podem mudar a sua vida e para isso é necessário ter especial prudência quando decide qual o laboratório que escohe para a execução do seu exame e até o próprio método de recolha do ADN.

 

É normal os nossos clientes colocarem questões no apoio ao cliente, uma das questões que mais nos colocam é: “ Um teste de paternidade/ adn realizado em casa é tão preciso quanto uma recolha feita num consultório médico?” ou “ Quais as diferenças entre fazer a recolha de adn em casa e fazer a recolha nas vossas clínica?”.

 

Quando um teste de paternidade é realizado numa clínica, as amostras são colhidas da mesma forma que o consumidor final recolhe o seu adn em casa, ou seja, fazendo um esfreganço com uma zaragatoa no interior da bochecha. Muitos dos nossos clientes consideram o processo muito simples e questionam a fiabilidade do teste de paternidade. Contudo esclarecemos que um exame de adn realizado às células da boca tem a mesma ou até mais fiabilidade que a recolha de sangue. Veja aqui as diferenças

 

A precisão de um teste realizado com células epiteliais é igual ou superior à precisão de uma amostra de sangue.

teste_de_adn_em_casa_ou_numa_clinica

Os kits para recolha de adn da códigoadn estão preparados para que qualquer pessoa que não tenha qualquer formação na área da saúde, possa fazer a colheita de adn sem errar. De facto a qualidade das amostra das células epiteliais quando recolhida em casa é tão precisa quanto uma recolha feita por um médico ou um enfermeiro numa clínica ou ao domicílio.

Se optar por fazer a recolha do seu ADN numa clínica ou ao domicílo tenha em atenção que ao preço do teste acresce o valor do serviço ou consulta. [entre 10€ a 25€].

 

Principais diferenças

Conveniência

Teste de ADN em casa – A recolha em casa é sempre menos stressante e mais confortável para os participantes especialmente se forem crianças. 

Teste de ADN numa clínica – Os participantes normalmente vão a uma consulta numa clínica onde é feita a recolha, logo há menos conveniência.

 

Preço

Teste de ADN em casa – O preço de um teste de paternidade na CódigoADN é 225€.

Teste de ADN numa clínica – A CódigoADN tem parcerias com clínicas e centros de enfermagem a nível nacional, o preço da consulta ou serviço diferem entre os 10€ e os 25€.

 

Teste de Paternidade Legal

Teste de ADN em casa – Quando a recolha de ADN é feita em casa, o teste nunca pode ser admissível em tribunal. Isto porque o tribunal não pode verificar a autenticidade dos participantes. 

 

Teste de ADN numa clínica – A colheita é geralmente supervisionada por uma testemunha enfermeiro/ médico. Se for realizada a custódia documental do exame, os resultados deverão ser automaticamente admissíveis no sistema juridico.

 

Veja o que os nossos enfermeiros dizem sobre nós:

“Excelente equipa de enfermeiros nas recolhas de amostras. Excelente na capacidade de resposta aos clientes....” Enfermeiro André Figueiredo

 

Pretende agendar o seu teste de paternidade ligue com o nosso apoio ao cliente.

 

 

Apoio_ao_cliente_04_600

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Dor de cabeça pode ser genético?

Ler contributo inteiro: Dor de cabeça pode ser genético?

A sociedade que hoje vive no nosso planeta é muito diferente da aquela vivida há mais de 4 000 atrás. Durante todos estes anos existiram tentativas de preservar cada valor cultural de cada sociedade de uma forma ou de outra. Há muitos anos atrás os escribas copiavam os manuscritos um por um, os egípcios contruíam grandes estruturas arquitetónicas tendo esperança que subsistissem no tempo e hoje em dia existem inúmeras formas de se preservar valores culturais. Mas nós não transportamos apenas valores culturais, o histórico da sua saúde também pode estar relacionado com a sua ascêndencia e etnia. Mas para relacionar estes dois aspetos é necessáro que saiba identificar e entender o que é a herança genética e de que forma ela poderá influenciar a sua saúde.

 

O que é a hereditariedade?

Hereditariedade é história, conhececimento único, valores e tradições que se desenvolveram por uma combinação de genes e ambientes ao longo os anos. A hereditarieade, seja ela cultural, nacional ou familiar, é uma adoção de conjuntos únicos de cohecimento histórico. É responsável pelo o que somos agora e pelo o que poderemos ser no futuro.

Portanto, a hereditariedade é um conjunto de fatores genéticos, decisões e fatores ambientais que nos afetaram pessoalmente e continuam-nos a afetar.

 

A hereditariedade afeta a minha saúde?

Pode ou não afetar contudo a predisposição genética de um grupo para uma determinada doença não significa que todos os membros do grupo a desenvolverão.

 

Quais os tipos de doenças hereditárias?

  • Doenças Monogénicas ou Mendelianas

São doenças produzidas pela alteração ou mutação na sequência do ADN de um único gene. Há ocorrência destes casos em cada 200 nascimentos e exitem cerca de 6 000 doenças destes género sendo as mais comuns: a Hemofilia, a Anemia Falciforme, a Fibrose Cística, e a Fenilcetonúria.

 

  • Doenças Cromossomicas

Estas doenças ocorrem devido à alteração no número ou na estrutura dos cromossomas. Alguns exemplos são: Síndrome de Down, Síndrome de Patau, Síndrome de Turner.

 

  • Doenças Poligénicas, Multifatoriais ou Complexas

Este tipo de doenças podem manifestar-se através de diversos fatores ambientais, estilos de vida ou de mutações em deteminados genes e cromossomas. Por exemplo: Alzheimer, diabetes, asma, esclerose múltipla, cancro, hipertensão, obesidade, doenças cardíacas, alergias, etc.

 

Cerca de 80% da população mundial desenvolverá, em algum momento da sua vida, uma doença que lhe foi transmitida geneticamente

 

Quais as doenças que ocorrem frequentemente?

 

  • Fibrose cística

É uma doença genética transmitida pelo pai e pela mãe que tem mais  difusão. Esta doença afeta principalmente os caucasianos. Ela afeta o funcionamento do aparelho digestivo, do respiratório e das glândulas sudoríparas. Os sintomas mais frequentes são dificuldade respiratória, inffeções pulmonares frequentes e problemas digestivos. A fibrose cística pode ser diagnosticada precocemente através do teste do pezinho.

 

  • Diabetes

Segundo a Associação Americana de Diabetes, a probabilidade de uma criança herdar diabetes do tipo 1 do pai é de 5,9%. A criança cuja mãe deu-lhe à luz até os 25 anos terá 4% de chance de herdar a diabetes tipo 1, ou 1% se nasceu quando a mãe tinha mais de 25 anos. A probabilidade de uma criança herdar diabetes tipo 2 dos pais são de 14,3%. Alguns médicos acreditam que a probabilidade aumenta, caso a mãe já tenha a doença. Quando o casal tem diabetes tipo 2, as chances de herdar a doença são de 50%.

 

  • Hipertensão arterial

Uma pessoa com caso de hipertensão arterial na família tem probabilidade de desenvolver a doença entre 30 - 60%.

 

  • Obesidade

Considera-se que 40-70% do fenótipo associado à obesidade é de carácter hereditário.

 

  • Cancro

O cancro é uma doença procedente da interação entre fatores ambientais – como tabagismo, infecções, maus hábitos alimentares, exposição solar, etc. – e genéticos. O cancro de mama e o de cólon pode ter um fator hereditário. Estima-se que 10% dos tumores malignos sejam hereditários.

 

As enxaquecas tem origem hereditária?

A enxaqueca pode acontecer em pessoas que sejam predispostas geneticamente para as ter. Contudo um indivíduo pode ser mais sensível a fatores ambientais que levam ao aparecimento de uma crise.  Os principais fatores do ambiente envolvidos no início de uma crise são: stress, distúrbios de sono, oscilação hormonal (estrógeno, principalmente), alimentação (cafeína, queijos amarelos, embutidos, condimentos, vinho tinto, entre outros), consumo de álcool, ansiedade, alterações climáticas, etc…

A enxaqueca é uma doença que afecta cerca de 15% da população portuguesa

 

Posso prevenir uma doença hereditária?

Existem várias formas que o poderão ajudar a prevenir potenciais do foro hereditário antecipando comportamentos e tendo um estilo de vida saudável. Por exemplo quem tem quadros clínicos na família com asma pode por a sua criança na natação desde cedo, quem tem diabetes deve ter cuidados especiais pelos hábitos alimentares.

Apesar das altas probabilidades de existir relação genética com as doenças transmitidas através da hereditariedade várias precauções podem ser tomadas a fim de evitar que tais doenças se manifestem, por exemplo uma boa alimentação, exames preventivos e exercícios físicos.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Como funciona um teste de ADN entre gémeos?

Ler contributo inteiro: Como funciona um teste de ADN entre gémeos?

Quando pensamos em genética, um tópico fascinante é, sem dúvida, a desmistificação do código genético dos gémeos e de que forma é feita a distribuição e partilha do seu  ADN. Se está à espera de bebé e já tem a confirmação de serem gémeos, a próxima dúvida que se coloca é se serão gémeos verdadeiros ou gémeos falsos. Maioria das pessoas tem o conhecimento deste tipo de distinção mas não sabe na prática o que ela significa.

 

Os gémeos verdadeiros são como o próprio nome indica idênticos. Estes gémeos são genéticamente idênticos e quase todos os seus marcadores genéticos são os mesmos. Os gémeos falsos só partilham a mesma porção de ADN que irmãos. Mas muitas pessoas tem dúvidas sobre como isso funciona e se aplica nos testes de ADN e particularmente em testes de paternidade. A CódigoADN™ irá clarificar e explicar esta temática de forma a que se eliminem dúvidas, receios e curiosidades.

 

teste_de_adn_gemeos

 

“Vou ter gémeos, como isso aconteceu?”

 

O número de mulheres grávidas de gémeos aumentou consideravelmente nos últimos 20 anos. Isto acontece porque um terço das mulheres que têm bebés tem mais de 30 anos e estas são mais propesas a conceber gémeos mas também devido a medicamentos e tratamentos de fertilidade. Dois conceitos que deve ter em conta quando se fala em gravidez de gémeos são monozigóticos (gémeos verdadeiros) e dizigóticos (gémeos falsos).

 

Os gémeos monozigóticos ou verdadeiros são concebidos a partir de um único ovo fertilizado, ou seja por um único espermatozóide. Neste caso, só poderá existir um único pai biológico, uma vez que o óvulo é dividido após fertilização por um único esperma. As células que se formam nas fases iniciais do desenvolvimento (até oito dias depois da fecundação) separam-se em dois ou mais grupos independentes e cada grupo origina um único embrião. Se a separação das células ocorrer cedo (dois a três dias depois da fecundação), formam-se gémeos com dois âmnios, dois córions e duas placentas.Contudo, o mais comum é essa separação ocorrer depois e formarem-se duas massas celulares internas, que partilham a mesma estrutura do embrião. Nesse caso, os gémeos vão partilhar o córion e a placenta, mas cada um estará numa cavidade amniótica. Quando a separação se dá mais tarde , depois do nono dia, os embriões dificilmente sobrevivem ou, se a separação não for completa, podem surgir gémeos verdadeiros presos por uma parte comum do corpo e partilha de órgãos (gémeos siameses). Os gémeos verdadeiros são geneticamente iguais entre si e, portanto, são sempre do mesmo sexo.

 

A conceção de gémeos verdadeiros é considerada um acontecimento aleatório e não é influenciada pela idade, raça ou hereditariedade. Nascem 3 a 4 gémeos monozigóticos emcada 1.000 nascimentos.

 

Por outro lado, os gémeos dizigóticos ou gémeos falsos resultam de múltiplos ovos que são fertilizados por diferentes espermatozóides. Uma mulher extremamente fértil pode libertar mais que um ovo por ciclo menstrual ( sendo que um único ovo é o mais frequente). Ela pode libertar um ovo após 5 minutos do último, portanto se estiver sexualmente com dois homens num curto período de tempo, é possível cada um deles fertilizar ovos diferentes. Os gémeos resultantes crescem no mesmo útero mas tem, desta forma, pais diferentes.

 

Este tipo de gémeos tem sempre  dois âmnios e dois córions, com duas placentas e portanto podem ser concebidos gémeos com sexo diferente e consequentemente com código genético distinto.

 

Este é o acontecimento mais comum de gémeos e ocorrem frequentemente em tratamentos de fertilidade.

 

A formação de trigémeos, quadrigémeos, etc. é  mais rara e pode resultar da separação de vários conjuntos de blastómeros, de uma ovulação múltipla ou de ambos os fatores.

 

A identificação do tipo de gémeo pode ser feita a partir da comparação dos perfis genéticos realizados a partir de um teste de ADN assim como a identificação do/s alegado/s pai/s .

teste_paternidade_gemeos

 

“Como funcionam os testes de paternidade em gémeos?”

Antes de realizar um teste de paternidade que envolva gémeos terá de identificar qual a tipologia destes uma vez que esta informação é muito importante para a obtenção de dados conclusivos. Se o alegado pai é progenitor de gémeos falsos deverá por sermpre a hipótese que poderá não ser apenas um único pai. Se está indecisa em mais que um progenitor, o melhor é optar por uma colheita múltipla. Se por outro lado, o alegado progenitor tem gémeos verdadeiros só é possível um único pai, portanto há uma maior probabilidade de ser o pai.

 

“Os gémeos falsos são semelhantes aos outros irmãos?”

Assim como qualquer irmão e irmã, os gémeos falsos terão cerca de metade da sua constituição genética em comum. Eles irão partilhar cerca de 50% do seu ADN, o mesmo que qualquer irmão uma vez que cada indivíduo recebe metade do seu ADN da mãe e metade do pai.

 

“Ter gémeos falsos pode ser uma questão genética?”

Os gémeos falsos ocorrem quando mais de um óvulo é fertilizado. Algumas mulheres liberam múltiplos ovos em cada ciclo, uma condição chamada hiperovulação. As mulheres hiperovuladas são mais propesas a ter gémeos falsos. Uma tendência para hiperovulação pode ser um traço genético. No entanto, ter o gene para hiperovulação não aumenta as chances do homem de gerar gémeos falsos.

 

“Poderei ter gémeos de raças diferentes?”

Embora possa ser difícil de acontecer e até de acreditar, pode ocorrer. Este é o resultado de uma combinação de um em um milhão dos genes dos seus progenitores, que são mestiços. Se os pais são mestiços, seus óvulos ou esperma contêm o código genético para a pele tanto mais claro como escura resultado, em poucos casos, em gémeos com diferentes cores da pele. 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Um teste de paternidade legal é usado para esclarecer mais do que as suas duvidas pessoais.

Ler contributo inteiro: Um teste de paternidade legal é usado para esclarecer mais do que as suas duvidas pessoais.

Um teste de paternidade legal normalmente é exigido quando há uma necessidade de provar a paternidade num tribunal, mudar o nome numa certidão de nascimento, por exemplo nos casos de custódia da criança, disputas paternais e quando se lida com pedido de imigração no SEF – serviços de estrangeiros e fronteiras.

 

Portanto, é importante que a equipe do apoio ao cliente, tenha um conhecimento vasto de casos, e consiga reunir o máximo de informações possível sobre seu caso, para lhe dar o melhor conselho e apoio, para que a nossa equipa possa garantir um resultado positivo para todos os envolvidos.

 

Como a lei define se é o pai

 

Até que seja declarado oficialmente o contrário, um homem é presumivelmente o pai legal se é casado com a mãe da criança quando esta nasce. Também é presumido que é o pai quando seu nome está na certidão de nascimento da criança. Se a mãe diz na altura do registo da criança que é o Pai, estes serviços vão assumir a sua paternidade, com exceção em que o pai não está presente e não está casado com a mãe. Para que não seja registado como o pai da criança deve tomar as diligências necessárias para que possa realizar um teste de paternidade.

Ao efetuar-se o registo do pai biológico todas as responsabilidades parentais inerentes ao bem-estar da criança estão assumidas, desde o apoio económico até à educação. Então mesmo que esteja em processo de para averiguação de paternidade, durante este tempo as responsabilidades parentais devem ser cumpridas. Normalmente a responsabilidade de pagamento do teste de paternidade é do pai.

 

Existe legislação legal para que o teste de paternidade seja pago pelo estado em Portugal?

Sim. Existe vária legislação em que se pode apoiar para refutar a paternidade, contudo o sistema de justiça familiar tem sempre como primazia a segurança e bem-estar do menor. Na prática é sempre melhor identificar o verdadeiro vínculo biológico com a mãe e o pai, e quanto mais cedo este for conhecido, melhor para todas as partes envolvidas.  Normalmente o estado português só assume o custo do teste de paternidade quando a família é carenciada.

 

O teste de paternidade legal diferente de um teste de paternidade informativo?

O teste é o mesmo em termos de metodologia, no entanto o teste de paternidade legal tem que ser conduzido por um médico, enfermeiro enquanto que um teste de paternidade informativo podem ser colhidas as amostras sem uma custódia procedimental, eliminando a necessidade e o custo de um médico profissional ou enfermeira.

 

Os resultados do teste não serão diferentes, a maneira como determinamos o vínculo biológico é a mesma. A CódigoADN™ garante um resultado conclusivo de 99,9999% ou 100% de exclusão de paternidade. Testamos mais marcadores de ADN do que qualquer outra empresa de testes de ADN, por isso podemos garantir que obterá um resultado conclusivo. Os resultados do teste de paternidade podem ser esperados entre 3-5 dias úteis.

 

Quer saber quais os seus próximos passos?

A nossa equipa de especialistas está preparada para responder a todas as suas perguntas. Não hesite em contactar-nos através do 220 417 190.

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Questionário - avaliação de serviços

Ler contributo inteiro: Questionário - avaliação de serviços

No decorrer da actividade da CódigoADN™, avaliamos sempre os serviços dos nossos laboratórios. Por sermos uma empresa em constante aprendizagem e melhoria continua, todos os anos questionamos os nossos clientes quanto ao serviço prestado, quer por parte do serviço de apoio ao cliente quer por parte dos nossos laboratórios.

 

Este ano a direcção da CódigoADN™ partilha todo o feedback que obteve dos nossos clientes. Obrigado a todos os clientes que participaram no inquérito.

 

O questionário da CódigoADN™ contou com 10 perguntas que avaliam transversalmente todos os nossos serviços. Teve a participação efetiva de mais de 500 clientes da CódigoADN™.

 

 

1. Classifique o website da Código ADN para o pedido de Kits de ADN e obtenção de informação?

1

 

2.Relativamente ao Kit de ADN enviado pela Código ADN, classifique o nível de clareza e facilidade na interpretação das instruções.

 

2

 

3. Classifique quanto à rapidez a recepção do seu resultado, relativamente ao exame que solicitou à Código ADN.

 

3

 

4. Quão útil foi o apoio ao cliente a explicar o exame de ADN e procedimentos?

 

4

 

5. Quão conhecedora é a equipe do apoio ao cliente relativamente ao exame que solicitou?

 

5

 

6. Classifique o quanto o apoio ao cliente escutou a sua descrição ou pedido e respondeu em conformidade?

 

6

 

7. A sua experiência com o serviço de apoio ao cliente da Código ADN foi melhor do que a esperada, foi pior do que a esperada ou exatamente a esperada?

 

7

 

8. Até que ponto confia nos laboratórios Código ADN para a realização do seu teste de ADN?

 

8

 

9. De forma geral, quão satisfeito ou insatisfeito está com a Código ADN?

 

9

 

10. Até que ponto recomendaria a Código ADN à sua família e amigos?

 

 

10

 

Usaremos as suas respostas para melhorarmos continuamente os nossos serviços.

Obrigado pela sua confiança

Ler contributo inteiro
Publicado em por

O que é um perfil de ADN?

Ler contributo inteiro: O que é um perfil de ADN?

O ácido desoxirribonucleico ou ADN é uma molécula de dupla hélice que codifica a informação genética de todos os organismos vivos. Nos animais (incluindo os seres humanos), o ADN está presente sob duas formas, nuclear e mitocondrial (ADNmt). O ADN nuclear é herdado da linhagem paterna. O ADNmt é herdado da linhagem materna.

 

Mesmo que os humanos partilhem 99,9% por cento do ADN, este seja exatamente o mesmo em todas as pessoas, uma única gota de sangue colhida numa cena de crime, fornece toda a informação genética necessária para identificar uma pessoa. Os cientistas forenses mostram que os restantes 0,1% do genoma - 3 milhões de bases nucleotídicas – apresentam variações únicas por individuo. Este processo, conhecido como Perfil de ADN ou teste genético de impressões digitais, revela uma série de variações no código genético que, em conjunto, constituem um perfil de ADN único para cada indivíduo.

 

O perfil de ADN descreve o processo pelo qual os indivíduos podem ser identificados e comparados com base na sequência do seu código genético.

 

Perfis de ADN

 

  • A caracterização de ADN é uma técnica através da qual os indivíduos são identificados com base nos respetivos perfis de ADN;
  • Dentro da região não-codificante do genoma de um indivíduo, existe ADN satélite - extensões longas de ADN constituídas por elementos repetitivos denominados Unidades Curtas de Repetição (STRs)
  • Como todos os indivíduos tem um número diferente de repetições numa dada sequência de ADN satélite, estes tornam-se perfis únicos de ADN
  • Estes diferentes perfis podem ser comparados utilizando a electroforese em gel

 

Procedimento do Perfil de ADN

 

  1. Recolha uma amostra nós extraimos o seu ADN (sangue, saliva, entre outros…) . Os cientistas só precisam de uma pequena quantidade de ADN para construir um perfil de ADN.
  2. Amplificamos as regiões reveladoras. Os cientistas usam uma técnica poderosa chamada Reação em Cadeia de Polimerase (PCR) para fazer milhões de cópias das regiões de ADN únicas da amostra. Em particular, o laboratório mantém o foco nas regiões conhecidas como STRs, que são compostos de unidades curtas de ADN - apenas quatro ou cinco bases de comprimento - que são repetidas várias vezes numa linha. Estas regiões são diferenciadoras devido ao número de repetições essas regiões. Estas repetições variam muito de pessoa para pessoa. Em investigações criminais, 13 dessas regiões STR são analisadas quanto ao número de unidades repetidas que contêm.
  3. Contamos as repetições. Durante a PCR, os corantes fluorescentes são ligados a todas as cópias de STR que são obtidas - um tipo de corante para cada região STR - para que todas as cópias de ADN de uma dada região possa ser distinguida das outras. Os cientistas executam a mistura através de uma máquina de eletroforese capilar, que separa os vários fragmentos de ADN por tamanho. A partir daí, é mais fácil calcular o comprimento de cada região STR e, portanto, o número de unidades repetitivas em cada local.
  4. Procuramos uma correspondência. Para identificar uma pessoa, por exemplo, as repetições STR da pessoa, devem coincidir com o ADN colhido originalmente (por exemplo da cena de um crime) - em todas as 13 regiões STR. De acordo com o FBI, quando todos as 13 regiões STR combinam perfeitamente, é praticamente garantido o culpado. O Teste de paternidade da CódigoADN™ utiliza 21 marcadores genéticos, garantindo 100% de fiabilidade.

 

ADN_para_quadros

 

Aplicações do perfil de ADN

  • Testes de Paternidade (comparar ADN de descendentes com alegados pais)
  • Investigações Forenses (identificar suspeitos ou vítimas com base no ADN da cena do crime ou desaparecimentos)

Com a Código ADN™ pode obter o seu perfil de ADN qualquer que seja o motivo (meramente informativo ou por questões legais). Um perfil de ADN é o unico documento que o pode identificar iniquivocamente. Apenas é necessário uma recolha de algum fluído do seu corpo, como sangue, unhas, cabelos, células epitiliais bucais, entre outros para que possa ser comparado com outro perfil de ADN ou apenas identificar o seu.

Leia também o nosso artigo sobre a importância da obtenção do Perfil de ADN.

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Como realizar um teste de paternidade com sucesso?

Ler contributo inteiro: Como realizar um teste de paternidade com sucesso?

A maioria das pessoas tem receio e dúvidas quando o assunto está relacionado com a realização de um teste de ADN, porque na maioria das vezes influencia outras pessoas, família e requer não só um comprometimento coma verdade como ter conhecimentos de como funciona a realização do teste de paternidade.

Os resultados de um teste de paternidade são muitas vezes “chocantes” na vida de uma família podendo até sofrer mudanças drásticas na mesma. A Código ADN apresenta abaixo algumas dicas de como realizar todo este processo, sem expor o menor a toda esta situação de extrema ansiedade.

 

 

 

Escolha corretamente o teste de ADN 

 

O kit do teste de paternidade da Código ADN contém seis conjuntos de zaragatoas esterilizadas de colheita de ADN: dois conjuntos para a criança, no total de quatro zaragatoas para a criança, alegado pai e mãe (sendo que a participação da mãe é opcional). Se o alegado pai não estiver disponível para o teste de adn,, pode então optar por um teste de avós, tios ou irmãos. O laboratório de ADN pode analisar o código genético noutros parentes do alegado pai para, desta forma, estabelecer e comparar os marcadores genéticos. O valor destes testes de ADN em que o pai não está disponível é superior ao teste de paternidade pois envolve uma análise mais complexa e extensa e neste caso a participação da mãe é altamente recomendada para obter resultados mais precisos.

 

 

 

Reflita sobre como vai usar os resultados

 

Deve ponderar e perceber qual o seu objetivo com a realização do teste de paternidade: pretende obter um relatório de paternidade apenas para a sua própria informação ou quer antecipar a necessidade de usar esses resultados judicialmente?

Quando realizar a colheita de ADN em casa, os resultados não são admissíveis em tribunal, contudo poderá utilizar o relatório para inicio da averiguação da paternidade. Quando efetua a sua colheita nas cossas clinicas de adn, sendo esta recolha mandatada por parte do tribunal ou do Instituto de Medicina Legal, estes exames já têm valor legal.

Se não tem intenções de utilizar os resultados em tribunal pode realizar o teste em casa com o kit que a Código ADN lhe pode enviar de forma gratuita. 

 

Siga as instruções que vem com o kit cuidadosamente

O kit de teste de paternidade que a Código ADN envia para sua casa contém instruções muito detalhadas sobre como executar o esfregenço das zaragatonas  e como manusear estas antes e após a colheita de ADN. Leia todas as instruções cuidadosamente antes de fazer o esfreganço é importante que siga todos os passos. De forma a acelerar o processo de envio das amostras e de confidencialidade, o kit segue sempre com um envelope franqueado.

 

Quando fizer a colheita de ADN esteja com todos os intervenientes presentes

Aconselhamos que todos os participantes no teste de paternidade estejam na mesma sala quando se fizer a colheita de ADN. Isto diminui a hipótese de "fraude" (recolha de ADN em outra pessoa que não o correto interveniente). Se os participantes viverem em cidades diferentes ou se existirem razões para acreditar que um dos participantes pode tentar "enganar" o teste, insista em fazer um teste com uma testemunha ou fazer em uma clínica da Código ADN em vez de fazer a colheita em casa.

 

Escolha um laboratório acreditado

Quando tomar a decisão da realização de um teste de paternidade opte por um laboratório que tenha níveis altos de acreditação, tanto por entidades nacionais como internacionais. Isto garante que as suas amostras serão adequadamente tratadas, testadas corretamente e analisadas por profissionais. Os testes dos nossos laboratórios são repetidos duas vezes por colaboradores diferentes com a tecnologia mais avançada que existe atualmente.

Estas são as dicas essenciais para que o teste de paternidade seja realizado com uma maior taxa de sucesso. Escolha o teste certo para suas necessidades, considere como vai precisar de usar os resultados, siga todas as instruções do kit, supervisione as amostras de ADN na altura da colheita e só escolha testes de ADN em que os laboratórios sejam acreditados.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

7 Factos sobre ADN que provavelmente não sabia

Ler contributo inteiro: 7 Factos sobre ADN que provavelmente não sabia

 

 

O ADN tem sido denominado como a matéria de construção da vida, uma vez que todos os organismos vivos tem ADN, ou seja, cada ser vivo é portador de informação genética. Na verdade, temos em cada célula do nosso corpo essa informação excepto nos glóbulos vermelhos.

 

Sendo nós uma empresa especialista em testes de paternidade é este assunto, também, da nossa competência. A Código ADN mostra-lhe alguns factos relativamente ao ADN que provavelmente não sabia e poderá até ficar chocado.

 

  • Facto 1 – Tem muito ADN!

O corpo é composto por 100 triliões de células, aproximadamente. Cada uma dessas minúsculas células contém informação genética.O seu ADN poderia esticar da terra ao sol 600 vezes. As cadeias de ADN em cada célula seria de 6 metros de comprimento.

 

  • Facto 2 – O ADN contém milhares de informações

 

Os passos na estrutura de hélice dupla do ADN são chamados de bases e são designados pelas letras A, T, C e G. A sequência dessas letras formam o código de imagem 2 que é o que nós somos, o nosso código genético.O genoma humano tem 3 biliões de bases e contém informações genéticas suficientes para encher 200 livros de 1.000 páginas e numa perspectiva mais moderna é cerca de 3 gigabytes de armazenamento num computador.

 

  • Facto 3 – Os outros seres vivos são muito parecidos connosco

 

As pessoas partilham 99,9% do mesmo ADN e é a fração restante de 1% que nos torna diferentes e únicos. O ser humano compartilha entre 94-99% de ADN com os chimpanzés, 75% com um rato e 36% com um mosquito. Os cientistas consideram que toda a matéria existente é resultante de um processo evolutivo dos antepassados. E, além disso, temos muito mais em comum com outros seres vivos como por exemplo, respirar, ver, mover e isso são características que estão relacionados com o ADN.

 

  • Facto 4 – Uma criança recebe apenas 50% de ADN do seu pai

 

Muitos clientes insistem que os seus filhos parecem-se com o suposto pai (ele tem os olhos azuis do pai ou ele tem a sua forma facial), e por isso eles não conseguem entender por que é que um teste de paternidade irá mostrar que o alegado pai e  criança não são biologicamente relacionados. Uma criança compartilha apenas 50% do seu ADN com o seu pai. Os traços de uma criança são determinados não só pelo o aspeto dos pais, mas por todos os genomas que vieram antes, em ambos os lados da família. Estas relações genéticas podem criar uma criança que se parece exatamente com um ou mais pais, ou uma criança que não se parece com nenhum deles.

 

  • Facto 5 – O ADN é uma molécula frágil

 

Cerca de mil vezes por dia, algo lhe acontece para causar erros. Isso pode incluir erros durante a transcrição, danos causados pela luz ultravioleta, ou qualquer outra atividade. Existem muitos mecanismos de reparo, mas alguns danos não são possíveis reparar. Isso significa que pode sofrer mutações! Algumas das mutações não causam dano, algumas são úteis, enquanto outras podem causar doenças, como o cancro.

 

  • Facto 6 – O seu genoma contém vírus dos seus antepassados

 

O nosso genoma contém 8% de vírus de antepassados. Mas alguns retrovírus podem assumir uma nova vida, como em pessoas com HIV e vários vírus que desencadeiam o cancro. Numa experiência, cientistas isolaram o ADN tanto de pacientes portadores do vírus HIV quanto de pessoas saudáveis e  encontraram um vírus chamado K111, às vezes intacto e outras não. Também é encontrado no genoma dos chimpanzés o mesmo vírus que teria infectado os nossos antepassados antes da separação dos humanos há mais de 6 milhões de anos. Quando as pessoas estão infectadas com o HIV, o antigo vírus K111 é ativado.

 

  • Facto 7 – O ADN foi encontrado há mais de 300.000 anos atrás

 

Em 2013, cientistas relataram que tinham encontrado um cromossomo Y antigo num homem afro-americano na Carolina do Sul. Ele foi transmitido intacto por 338.000 anos, antes dos fósseis mais antigos conhecidos do humano moderno. O cromossoma carregava uma mutação que os cientistas compararam com uma encontrada em pessoas da tribo Mbo nos Camarões. Isso significa que um antepassado do Mbo se relacionou com um humano africano arcaico.

 

 

apoio_ao_cliente_codigoadn1

Ler contributo inteiro
Publicado em por

É legal recusar um teste de paternidade?

Ler contributo inteiro: É legal recusar um teste de paternidade?

O teste de paternidade é, sem dúvida, o teste de ADN que mais realizamos no nosso laboratório de todos os testes de ADN disponíveis.

 

Na maioria dos casos, quando um tribunal exige um teste de paternidade, há uma criança menor envolvida tendo processos de custódia também relacionados. Os tribunais privilegiam sempre o supremo interesse do menor. Mas muitas das pessoas envolvidas em processos judiciais, desconhecem todos os procedimentos legislados no livro do IV do código civil – Direito de família. O apoio ao cliente da Código adn esclarece frequentemente várias questões relacionadas com teste de adn com valor legal, Várias questões como: pode uma mãe ou um pai recusar-se a realizar um teste de paternidade ordenado pelo tribunal? A Código ADN esclarece-o.

 

Quem é que pode pedir o teste de paternidade ordenado pelo tribunal?

 

  • Mãe ou alegado pai
  • Mãe ou pai legalmente reconhecido
  • Um filho adulto ou representante de uma criança menor
  • Tutor ou Guardião, desde que devidamente documentado para o processo

 

E se o pai ou a mãe se recusar?​

 

O tribunal irá automaticamente ordenar que ela não tem direito à criança. Um alegado pai só pode apelar paternidade se fizer o teste de paternidade dentro do prazo estipulado ,portanto, se uma mãe recusar um teste de paternidade, é extremamente importante para qualquer pai questionar a paternidade para solicitar um teste de adn antes do bébe nascer ou o mais cedo possível, após o seu nascimento. O tribunal atribui muita importância ao bem-estar da criança. Se o pai se recusar a realizar o teste de paternidade, pode enfrentar consequências como ser alvo de acusações criminais que foram apresentadas ou o tribunal pode simplesmente ordená-lo a pagar uma pensão alimentícia.

 

Pode-se informar detalhamente no blog sobre o decreto-lei do reconhecimento da paternidade e da averiguação da paternidade.

 

Portanto, é legal recusar um teste de paternidade desde que não seja ordenado pelo tribunal mas existem sempre sérias repercussões para as pessoas que se recusam. É sempre melhor para todas as partes - especialmente para a criança - conhecer a verdade sobre a sua herança biológica. A família fica mais forte se todos os intervenientes aceitarem os termos do processo envolvido do exame de paternidade.

 

apoio_ao_cliente_codigoadn1

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Reino Unido aprova técnica de fertilidade com ADN de três pais

Ler contributo inteiro: Reino Unido aprova técnica de fertilidade com ADN de três pais

A entidade reguladora de fertilidade do Reino Unido aprovou a técnica FIV – Fertilização in Vitro - que autoriza que os médicos permitam a criação de bebés usando o ADN de três pais diferentes.

 

O Reino Unido tornou-se o primeiro país a autorizar a criação de bebés com ADN de três pessoas. A presidente da Autoridade de Fertilização e Embriologia Humana (HFEA, em inglês), Sally Chesire, descreveu a decisão como um “momento de mudança de vida” para as famílias que poderiam beneficiar do tratamento. " Os pais com alto risco de ter uma criança com uma doença mitocondrial potencialmente fatal podem em breve ter a chance de ter uma criança saudável, geneticamente relacionada" disse a presidente num comunidado.

 

No ano passado, o Reino Unido alterou a sua lei permitindo que os cientistas modifiquem os ovos ou embriões antes de serem transferidos para as mulheres, tornando-os o primeiro país a aprovar legalmente esta técnica. Em setembro, médicos norte-americanos anunciaram que tinham criado o primeiro bebé em que usavam estas técnicas.

 

Os novos procedimentos destinam-se a corrigir problemas relacionados às mitocôndrias – estruturas produtoras de energia externas ao núcleo de um célula. As mitocôndrias defeituosas podem resultar em condições como atrofio muscular, insuficiência de orgãos, fraqueza muscular grave e até diabetes e miotopias.

 

Para ajudar as mulheres com problemas mitocondriais e assim evitar que transmitam para os seus filhos, os cientistas removeram o ADN do núcleo do ovo de uma mãe e inseriram-lo num ovo doador a partir do qual o ADN do doador foi removido. Isso pode acontecer antes ou depois da fertilização. O embrião resultante deste processo termina com o ADN do núcleo dos seus pais, mas o ADN mitocondrial de um doador. O DNA do doador equivale a menos de 1% dos genes do embrião resultante. Na prática, combina-se o ADN de duas mulheres e de um homem, para evitar a transmissão de doença materna o que pode vir a resultar mum grande avanço da ciência.

 

Contudo, a decisão do Reino Unido de aprovar o uso dos novos métodos não abrirá as comportas a bebés geneticamente modificados. As clínicas precisarão aplicar ao regulador de fertilidade do Reino Unido permissão para usar as técnicas caso a caso. A decisão foi tomada após cinco anos de revisão do desenvolvimento, segurança e eficácia dos procedimentos.

Ler contributo inteiro
51 - 60 de 122 resultados