Blog, Noticias, Legislação e Recursos para testes de ADN - Código ADN
Mostrar conteúdo actual em RSS feed

Blog, Noticias, Legislação e Recursos para testes de ADN - Código ADN

Recursos, Noticias, legislação e curiosidade sobre teste de adn e paternidade. Avanços na genética e nos testes de adn disponibilizados ao consumidor final. 


71 - 80 de 128 resultados
Publicado em por

Fumar provoca inúmeras alterações genéticas

Ler contributo inteiro: Fumar provoca inúmeras alterações genéticas

Um estudo realizado pelo Instituto “Wellcome Trust Sanger” dos Laboratórios Nacionais “Los Alamos” identificaramvários mecanismos pelos quais o tabagismo causa danos catastróficos no ADN. Os cientistas mostraram que um maço por dia provoca cerca de 150 mutações em células pulmonares.

 

teste_de_paternidade_cigarro

 

Este estudo analisou a sequência do ADN de células em mais de 5000 cancros e cerca de metade eram associados a fumadores e os restantes a não fumadores permitindo dessa forma que os investigadores comparassem as mutações entre os dois. As células cancerígenas de fumantes tendem a conter um maior número de mutações e substituições anormais no código genético. Um exemplo prático mostra que num ano um fumador poderia ser portador de 150 mutações nas células pulmonares, 90 mutações nas células da laringe e 39 na garganta (faringe).

 

Que tipo de pesquisa foi esta?

Este estudo genético teve como objetivo analisar as mutações de ADN encontradas em  diferentes tipos de células cancerígenas que estão associadas ao tabagismo. É de senso comum que fumar é prejudicial para a saúde. Há um estudo que mostra que o tabagismo está associado a 17 tipos diferentes de cancro provocando desta forma a morte de aproximadamente seis milhões de pessoas por ano pelo mundo. Em média, 60% dos produtos químicos do tabaco contém substâncias cancerígenas sendo que muitos deles provocammutações genéticas.

 

O que envolveu a pesquisa?

Foram examinadas sequências de ADN 5 243 emostras de células em cancros ligados ao tabagismo. As amostras incluiam cancros de pulmão, boca, garganta, fígado, rim, bexiga, pâncreas e cervical. Os cientistas concentraram-se na análise das posições particulares dentro da sequência de ADN dessas células onde ocorriam as mutações. Das amostras 2 490 eram fumadores e 1 062 não fumadores.

 

Quais foram os resultados básicos obtidos?

            Os investigadores descobriram que em fumadores existia um maior número de casos em que a sequência de ADN teria sido substituída em particular no pulmão, garganta, fígado e rim. Os fumadores tiveram um número maior de mutações dentro de certas assinaturas mutacionais do que os não fumantes. Por exemplo, a maioria dos cancros de pulmão e garganta de fumadores tinham muitas mutações de assinatura 4. Por outro lado, 13,8% dos não fumadores também mostraram muitas mutações de assinatura 4 sendo que os investigadores especulam que poderá advir do tabagismo passivo ou hábitos não relatados. Os investigadores passaram também a descrever outras assinaturas mutacionais individuais onde encontraram diferenças entre fumadores e não fumadores incluindo assinaturas 2,5,13 e 16.

 

"O genoma de cada cancro provêm de uma espécie de ‘registo arqueológico' no próprio código de ADN, das exposições que causaram as mutações que provocaram o cancro”

 

testes_de_ADN_cigarro

 

            Após isso, os cientistas usaram essa informação para calcular o risco de acordo com a idade de uma pessoa que fuma 30 cigarros ou mais por dia desenvolvendo dessa forma cancros específicos. Por exemplo, um fumdor masculino teria 22 vezes mais probabilidade a desenvolver o tipo mais comum de cancro de pulmão e 13 vezes mais de desenvolver o cancro de laringe.

 

Como os pesquisadores interpretaram os resultados?

            Os cientistas concluíram que os resultados são consistentes e que comprovam que fumar provoca efetivamente cancro aumentando o risco de mutações encontradas no ADN.

Fontes:

http://www.nhs.uk/news/2016/11November/Pages/Smoking-causes-hundreds-of-genetic-mutations.aspx

https://www.newscientist.com/article/2111320-every-50-cigarettes-smoked-cause-one-dna-mutation-per-lung-cell/

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

20 formas de como o ADN mudou o mundo

Ler contributo inteiro: 20 formas de como o ADN mudou o mundo

Fonte: http://www.independent.co.uk/news/science/23-ways-that-dna-changed-the-world-5352712.html 

O ADN humano carrega um conjunto de instruções para fazer de uma pessoa completa apartir de um único ovo fertilizado. Após que James Watson e Francis Crick revelaram a sua estrutura foram-se sucedendo inúmeros acontecimentos significativos para o avanço da ciência. 

dna-163466_960_720

Abaixo estão listados 20 desses acontecimentos: 

 

  1. A forma como as coisas vem 

A imagem de duas cordas entrelaçadas de DNA envolvidas em torno de um eixo central para formar uma dupla hélice ligeiramente curvada. É esta estrutura que é um dos ícones mais poderosos do século XX. Watson e Crick sentiram que a dupla hélice era tão simples que tinha de ser correta, enquanto sua simetria enigmática fez uma poderosa previsão sobre como a informação genética armazenada e transmitida de uma geração para a geração seguinte. 

 

  1. Explicar os genes 

Durante alguns séculos, filósofos importantes refletiram sobre a herança genética e como uma pessoa poderia ser de dois pais. estrutura do ADN explicou como a unidade fundamental da herança - o gene - funciona e como é replicado de uma célula para a próxima e de uma geração para outra. Após esse conhecimento da base moleclar do gene, os cientistas conseguiram perceber como ele poderia ser danificado e porque essas “mutações” poderiam ser causas de doenças ou a traços benéficos que poderiam contribuir para uma evolução científica. 

 

  1. Compreender doenças hereditárias 

Uma das primeiras doenças hereditárias a ser desvendada ao nível de ADN foi a anemia falciforme, uma doença sanguínea que afeta principalmente africanos e nativos da região do Mediterrâneo. Uma única mutação no gene para a hemoglobina da proteína sanguínea pode afetar sua capacidade de transportar oxigênio pelo corpo inteiro. Pessoas que herdam duas cópias da mesma mutação, uma de cada pai, têm sintomas graves. No entanto, aqueles que herdam apenas uma cópia da mutação não sofrem muito com a doença. Esta descoberta revelou aos cientistas  muito sobre a evolução e como as mutações podem aumentar para níveis relativamente altos dentro de uma população. 

 

  1. Curar doenças hereditárias 

Percebendo como um gene pode ter efeitos nocivos, os cientistas conseguem descobrir formas para eliminar essa nocividade. Em abril de 2002, Rhys Evans tornou-se a primeira criança na Grã-Bretanha a ser curada de uma doença hereditária como resultado da terapia genética, que envolve a "reparação" de um gene defeituoso, aumentando-o com uma versão saudável. Rhys herdara de sua mãe um gene Gamma C defeituoso, isso significava que seu sistema imunológico não funcionavaEle passara a vida dentro de uma "bolha" estéril. Após isso, uma transfusão de sangue contendo as suas próprias células geneticamente modificadas corrigiu o defeito e permitiu que o jovem de 18 meses se tornasse numa criança saudável. 

 

  1. Prever doenças hereditárias 

Alguns distúrbios são causados por vários defeitos. O cancro é o exemplo mais comum: é causado por um conjunto de mudanças celulares desencadeadas por uma série de mutações. Contudo, por vezes o cancro pode resultar em um defeito apenas num gene que é transmitido numa família, como o BRAC1 e BRAC2. Essa compreensao levou ao desenvolvimento de testes de cancro da mama para mulheres cujas famílias carregavam o gene. 

 

 

  1. Defender a justiça 

Em 1988, Colin Pitchfork foi condenado à morte pelo assassinato de uma aluna, Dawn Ashworth, após se ter tornado o primeiro assassino a ter seu DNA combinado com o de uma amostra de tecido na cena de um crime. O que foi menos percetivel foi as impressões digitais de ADN, que foram também usadas num outro outro suspeito que já confessara o mesmo assassinato. O teste provou que a confissão era falsa. As impressões digitais de ADN revolucionaram as investigações criminais e ajudaram a proteger os inocentes, bem como a condenar os culpados. 

 

  1. A vida de cão 

Os testes de ADN são usados para confirmar os pedigrees de cães e gatos, cavalos de corrida e gado. Eles podem estabelecer a identidade de ovos de aves recolhidos ilegalmente e os couros de espécies protegidas. 

 

  1. De onde viemos 

A análise de ADN apoia-se na visão de que os primeiros humanos se mudaram para fora de África há menos de 100 mil anos para colonizar o mundo. Vestígios de ADN mostraram que os primeiros agricultores migraram para oeste a partir do Médio Oriente em toda a Europa.  

Testes de ADN em ossos antigos mostraram que o homem neandertal e os seres humanos modernos não estão intimamente relacionados. Os cientistas acreditam agora que os neandertais, que viveram ao lado de seres humanos modernos por milhares de anos, nunca se cruzara. Testes de ADN em pessoas vivas revelaram outras origens étnicas e ancestrais que foram perdidas ao longo do tempo. Os ancestrais de muitas mulheres islandesas vieram da Irlanda e não da Noruega. Muitos homens afro-caribenhos britânicos herdaram os seus cromossomas Y masculinos de antepassados brancos que estavam vivos na época do tráfico de escravos. 

 

  1. Múmias egípcias e czares russos 

Alguns testes de ADN realizados em membros da família real britânica ajudaram a confirmar que restos humanos estariam enterrados num poço na Rússia que eram os do czar Nicolau II e sua família que teriam sido executados em 1918 por oficiais soviéticos no porão de uma casa em Ekaterinburg. Os arqueólogos usam testes de ADN para estabelecer as relações familiares de outras pessoas há muito tempo mortas, de faraós egípcios aos restos mumificados da nobreza maia e inca. 

 

  1. O mito da raça 

A análise de ADN tem dado estereótipos raciais, uma vez que se pode chegar a um nível molecular. O conceito biológico de raça começa a parecer sem sentido. Quando os cientistas estudaram o ADN de judeus e árabes israelitas - dois grupos culturalmente separados por religião e etnia - descobriram uma afinidade genética que só poderia ser explicada por uma relação estreita no passado. De facto, o ADN humano mostra uma variação surpreendentemente pequena entre as raças. A semelhança de sequências de ADN em todo o mundo indica que a espécie humana passou por um "gargalo genético", resultante do número relativamente pequeno de pessoas que inicialmente migraram para fora da África. 

 

thermometer-1539191_960_720

 

  1. Medicamentos  

A proteína fator 8 é um número de agentes de coagulação, que ocorrem naturalmente no sangue de uma pessoa saudável, que os impede de sangrar até morrer quando se cortarem ou ferirem. Há vinte anos, os hemofílicos - que não têm a proteína devido a um gene defeituoso - dependiam de transfusões de fator 8 de doadores de sangue. Como resultado existiram muitas infecções virais contraídas como hepatite e HIV de doadores contaminados. Agora é possível fazer artificialmente Factor 8 livre de vírus, utilizando micróbios geneticamente modificados. Outros medicamentos geneticamente modificados, como insulina e hormonas de crescimento humano, também livraram pacientes do espectro da contaminação. 

 

 

  1. Oncogénese 

Na década de 1980, um rato geneticamente modificado com um gene causador de cancro  tornou-se a primeira criatura viva a ser discutido da luta amarga sobre os direitos e os erros de patenteamento de animais. A oncogénese era importante para a ciência porque estava geneticamente predeterminado para desenvolver cancro - e qualquer coisa que atrasasse ou impedisse esse destino poderia ser útil para tratamentos anti-cancerigenos 

 

  1. Alimentação 

As primeiras eperiências com culturas geneticamente modificadas ocorreram nos anos 80. Desde então, a manipulação do ADN permitiu aos cientistas inserir genes em plantas que conferem resistência a pragas e herbicidas, bem como melhorar o conteúdo nutricional de culturas básicas - como o arroz enriquecido com beta-caroteno. A América e a China estão a plantar milhares de quilómetros quadrados de terra com culturas transgénicas, mas a Europa ainda se está a questionar se esta é uma revolução agrícola 

 

  1. A morte manufaturada 

Um exemplo extremo de engenharia genética é a manipulação de um micróbio mortal para torná-lo ainda mais infecioso ou tóxico para os seres humanos. O vírus causou paralisia e morte quando injetado em ratos domésticos.

 

animal-1554745_960_720

 

 

  1. Atrasar o envelhecimento 

Entender a natureza do ADN tem lançado luz sobre o processo de envelhecimento. Alguns genes são conhecidos por prolongar a longevidade das moscas da fruta, pr exemplo. Em 1984, os cientistas descobriram que a enzima telomerase, que reconstrói as pontas dos cromossomas, pode prolongar a vida de células individuais. 

 

  1. Um mega golpe 

Uma abordagem radical da imunização é injetar o ADN bruto diretamente nos pacientes. As vacinas de ADN poderiam imunizar as pessoas contra uma série de infeções simultaneamente com apenas umgolpe. 

 

  1. O fim do livre-arbitrio? 

Em 1994, o americano Stephen Mobley foi condenado à morte, mas os seus advogados defenderam a clemência, alegando que ele era de uma família criminosa e, evidentemente, herdara uma predisposição genética à violência. Cientistas mostraram também que os rapazes fisicamente abusados são mais propensos a crescer em homens anti-sociais e violentos, se eles também herdaram uma determinada versão de um gene no cromossoma X. O ADN reabriu mais do que o antigo debate da natureza  da criação. 

 

  1. O campo ético 

A descoberta da natureza de herança apresentou à sociedade um conjunto totalmente novo de dilemas éticos. Os jovens devem ser informados de que herdaram o gene da doença de Huntington, que os atingirá na meia-idade com um transtorno mental letal e debilitante que não tem cura? As companhias de seguros têm o direito de aceder a essas informações? Os pais devem ser capazes de escolher o sexo dos seus bebés com base num teste de ADN? Por que as famílias não deveriam ser capazes de alterar os genes de ovos ou esperma para livrar seus filhos de distúrbios genéticos? São todas estas questões éticas que tem surgindo. 

 

  1. Mania do filme 

Hollywood teve muita popularidade e sucesso com as possibilidades inerentes ao ADN. Jurassic Park abordou a possibilidade de trazer os dinossauros de volta à vida, recuperando o seu ADN preservado em mosquitos fossilizados, por exemplo. 

 

  1. Validação de Darwin 

Todos os animais e plantas partilham do mesmo código de ADN. Conhecer essa estrutura  e como ela codifica a informação genética demonstrou que a vida na Terra tem uma origem comum. Com efeito, provou que Charles Darwin estava certo quando sugeriu que as espécies são descendentes de um antepassado comum. Mesmo que exista vida extraterrestre, é altamente improvável usar exatamente o mesmo tipo de ADN, que é, com toda a probabilidade, exclusivo da Terra. 

 

evolution-296584_960_720

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Entenda o ADN em apenas 10 Minutos

Ler contributo inteiro: Entenda o ADN em apenas 10 Minutos

 

O ADN nos dias que correm é um termo comum, mas...

Será que realmente sabe muito sobre ele?

Que história conta o ADN sobre cada um de nós?

 

Compreender o ADN em 10 minutos pode ser um desafio, mas Tom da Irlanda, ajuda-nos a compreender toda a sua essência em apenas 10 minutos.

 

Desde 1953, quando Watson e Crick declarou "Nós descobrimos o segredo da vida!" A nossa compreensão e uso prático do ADN tem melhorado a cada ano que passa. Mas uma coisa é certa, Nós aprendemos mais a cada dia que passa, é uma área que tem o seu estudo no inicio. Os dois bioquímicos não estavam a exagerar: O ADN desbloqueia muitos dos mistérios de como as coisas vivas fazem, replicam-se e reparam-se.

 

O ADN é encontrado em todas as células de todos os seres vivos. Este carrega todas as instruções para que um organismo se possa construir, manter e reparar-se. Ao se replicar este é transmitido seja, animais, plantas ou microorganismos este processo implica também transmitir as suas características aos seus descendentes. Isto é crítico para a Teoria da evolução de Darwin.

 

teste_de_adn_helix

 

 

O artigo escrito por Tom diz-nos o seguinte:

 

O QUE É O ADN?

 

Nos seres humanos, metade do nosso ADN em as nossas células deriva de nossa mãe, e metade de nosso pai. É por isso que nós herdamos uma mistura de características de ambos os pais. O ADN é um código extremamente longo e complexo, e é único em todo o mundo. Este "código genético" pode nos dizer muitas coisas, incluindo detalhes sobre ancestralidade e potenciais problemas de saúde.

 

O QUE SÃO OS GENES?

 

Genes são secções da nossa sequência de ADN que contém o código de uma proteína específica, normalmente associada a uma função específica ou uma característica física. Nos seres humanos, por exemplo, uma secção genética conhecida como 'OCA2' tem uma forte influência sobre a cor dos olhos de uma pessoa.

 

Variações nestas partes do nosso ADN levam às diferentes características que vemos entre os indivíduos. Por exemplo, as pessoas com olhos azuis têm ADN diferente em 'OCA2' do que as pessoas com olhos castanhos.

 

Um equívoco comum sobre genes é que um gene é responsável por uma característica, que na verdade é altamente incomum. Mais vulgarmente, as características físicas resultam de uma combinação de muitos genes.

 

COMO É QUE O ADN SE REPLICA?

A descoberta da estrutura "dupla hélice" do ADN ajudou a revelar a maneira maravilhosamente simples de uma molécula de ADN replica-se. Com a ajuda de outros produtos químicos na célula, os destorce hélice dobro e as duas vertentes dividido ao meio, como um zip. Porque um sempre pares com T e C com G, ambas as vertentes, em seguida, formar uma cópia exata quanto mais nucleotídeos são atraídos para o local correspondente em frente às costas recém-Split.

 

Este processo de replicação é crucialmente importante, porque as células estão constantemente dividindo e replicando. Se o ADN é copiado incorretamente, as células resultantes têm instruções confusas e podem começar a crescer fora de controlo. Este é muitas vezes como um tumor canceroso é iniciado.

 

teste_de_adn,_cancro

 

 

COMO É QUE ADN SE REPLICA?

A descoberta da estrutura "dupla hélice" do ADN ajudou a revelar a forma maravilhosa e simples de como uma molécula de ADN se replica. Com a ajuda de outros produtos químicos na célula, a hélice desdobra-se sobre si mesmo e esta acaba-se por dividir como um fecho zip.

 

Este processo de replicação é crucialmente importante, porque as células estão constantemente a dividir-se e a replicar-se. Se o ADN é copiado incorretamente, as células resultantes têm instruções confusas e podem começar a crescer fora de controlo. É assim que  muitas vezes crescem os tumores cancerosos.

 

 

O QUE PODE FAZER COM ADN?

 

Nós já usamos o ADN para uma gama de aplicações extremamente úteis, tais como kits de teste de adn enviados para casa que podem dar respostas sobre o nosso passado, presente e futuro: Como eram os nossos antepassados e quais os medicamentos que deve tomar ou evitar, e quais as doenças que podem se desenvolver em anos futuros.

 

Também pode usá-lo para resolver disputas de paternidade, ou capturar criminosos, através da procura de pequenas quantidades de ADN encontrados na cena do crime.

 

Mas isto é apenas o começo. Com o sequenciamento de ADN torna-se muito mais fácil e mais barato, o que antes era impensável agora é eminentemente possível. Já, os cientistas podem criar medicamentos personalizados que são adaptados para funcionar com a sua exata combinação de genes. Eles estão a ler os genomas das células cancerosas, a fim de aprender mais sobre elas e lutar contra elas. A terapia genética pode ser utilizada para combater doenças genéticas através da inserção de novos genes no ADN das pessoas.

 

No futuro, os biólogos podem ser capazes de criar novos organismos que existem apenas para produzir produtos úteis para nós ser humano. Podemos até ser capazes de editar o genoma dos nossos filhos - não só para garantir que as crianças estão livres de doenças genéticas, mas também para garantir que eles tenham as características que queremos.

 

Esta informação pode não torná-lo um especialista em ADN, mesmo que leia este artigo em 10 minutos. Mas fornece informações suficientes para começar, e talvez como eu, ficar ansioso para saber que mistérios de ADN serão descobertos no nosso futuro próximo.

 

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

contactos_codigo_adn

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Bebé nasce com aplicação de técnica controversa que combina ADN de três pessoas

Ler contributo inteiro: Bebé nasce com aplicação de técnica controversa que combina ADN de três pessoas

Apesar de o objetivo da aplicação da técnica ter um final feliz, abriu pela primeira vez a porta para a iniciação de encomenda de bebés!

 

Já num artigo anterior, referimos as descobertas de uma cientista norte-americana relativamente à célula - CRISP-9, onde se podia alterar o ADN e escolher como seria o bebé a nível de inteligência, força e outras características superiores ao ser humano comum.

 

Na realidade esta técnica já tinha sido aplicada em 1990 mas os embriologistas que tentaram alterar o ADN de um bebé com o ADN conjunto de 3 pessoas não foram bem sucedidos. O bebé começou a desenvolver doenças genéticas e a técnica foi proibida, devido ao bebé ter mitocondrial de duas fontes diferentes;

 

Contudo neste caso relatado o objetivo da intervenção não foi a experimentação mas sim evitar que a criança herdasse uma doença genética fatal da sua mãe, esta havia anteriormente perdido duas crianças para esta doença uma aos 6 anos e outra aos 8 meses;

 

image001_fuzzed

 

 

O nascimento do menino foi publicado pela revista Fertility & Sterility. Devido à apreensão e questões levantadas pela comunidade de cientistas, estes (os responsáveis pela intervenção) irão apresentar todos os detalhes da adulteração numa reunião no próximo mês em Salt Lake City.

 

Atualmente segundo relatos da imprensa internacional o bebé nasceu há cinco meses. Não foi divulgado o local de nascimento do bebé mas sabe-se que atualmente este está a ser acompanhado no México pela equipa liderada pelo Dr. John Zhang do centro de fertilidade de New Hope, em Nova Iorque.

 

Atualmente a técnica não é aprovada nos Estados Unidos, mas em entrevista o Dr. Zhang disse "Que para salvar vidas, esta é a forma mais ética de o fazer."

 

O gene de ADN que a mãe carrega é conhecido como síndrome de Leigh, uma doença neurológica grave que mata normalmente em alguns anos, após o nascimento.

 

A síndrome de Leigh ou doença de Leigh é uma enfermidade que ataca o sistema nervoso central. É uma desordem hereditária que afeta crianças e em casos raros podem afetar adolescentes e adultos. Mutações no DNA das mitocôndrias ou no DNA nuclear (gene SURF1) causam degradação das habilidades motoras e eventualmente morte.

 

Na realidade esta técnica envolveu a remoção de parte do ADN da mãe de um óvulo, (o ADN que responsável pela doença) e foi injetado ADN saudável de um óvulo da dadora, que foi então fertilizado. Como resultado, o bebé herdou o ADN de ambos os pais e da dadora do óvulo.

 

A mãe, uma mulher de 36 anos de idade acrescentou que a sua gravidez foi sem complicações. E que em cinco óvulos foi escolhido um que era adequado para a utilização.

 

Os críticos questionam a segurança da técnica, e acrescentam que a criança terá de ser acompanhada durante décadas para se certificarem que permanece saudável. No entanto, também acrescentam que se passou uma fronteira científica fundamental, alterando o ADN herdado pelas gerações futuras. O ADN mitocondrial é passado de mulheres aos seus descendentes.

 

Ainda assim, no ano passado, a Grã-Bretanha tornou-se o primeiro país do mundo a permitir a criação de embriões humanos com esta mesma técnica. Nos EUA, um painel de conselheiros do governo disse no início deste ano que é ético testar esta abordagem em pessoas contudo as experiências iniciais têm de seguir alguns passos de segurança rígida.

 

Este relatório foi solicitado pela FDA - EUA, que atualmente proíbe e impede o Congresso de analisar qualquer pedido que lhe chegue neste sentido, para aplicação desta técnica.

 

Os cientistas dividem-se na concordância da aplicação da técnica. Por um lado está uma vida humana, por outro a alteração do ADN das próximas gerações poderá estar em causa, podendo os países com políticas abertas e menos éticos começarem a aceitar encomendas de bebés;

 

Hank Greely, um especialista em ética da Universidade de Harvard, disse que não vê nada de errado em usar a técnica se esta for segura. Mas alertou que a pesquisa não é ainda segura o suficiente para tentar criar um bebé, referindo que o nascimento relatado é "antiético, imprudente e imoral."

 

Dieter Egli da Fundação de Células-Tronco de Nova York, que tem feito um trabalho na área, foi cauteloso sobre as implicações do novo relatório.

 

"Eu não posso comentar nem me deslocar para ver este menino, porque na verdade pouco sabemos o que foi feito e não temos informações suficientes;” - "Temos que esperar" por um relatório mais completo.

 

Com tal procedimento em execução e sem saber exatamente que alteração foi feita ao ADN estrutural da criança temos que aguardar pela divulgação do relatório e começar a questionar a ética e regras rígidas na aplicação do procedimento. 

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Testes Ancestrais de ADN – Que informação obtenho do exame de ADN?

Ler contributo inteiro: Testes Ancestrais de ADN – Que informação obtenho do exame de ADN?

 

O artigo de Hoje, visa sobretudo esclarecer e clarificar o tipo de informação que um teste ancestral contém e que pode observar.

 

Vamos utilizar um caso real de um cliente, que executou um teste ancestral connosco (informamos que este cliente, executou a sua compra online, sem primeiro ter falado com o nosso apoio ao cliente).

 

Utilizamos este caso para manter a transparência que a CódigoADN™ tem no mercado.

 

linhagem_paterna

 

A troca de e-mails entre o nosso cliente e a CódigoADN™ - (Informamos que não transcrevemos na totalidade os emails do nosso cliente, visto que, não podemos utilizar a informação integral)

 

Após entrega do resultado ancestral, recebemos um email por parte do cliente, com a  seguinte informação:

 

Teste_de_ADN_Online

Cliente (email recebido)

Boa tarde,

Recebi o Teste Ancestral Linhagem Paterna. O único problema que tenho é que a informação que me é facultada é o meu Haplogrupo e o meu Y-STR.  (…)

Tenho alguma forma de saber mais?

Podem-me facultar mais informação?

(...)

 

teste_de_paternidade_online

CódigoADN™ (email enviado)

 

Bom dia Caro Sr. "Cliente"

 

Obrigado pelo seu email.

 

Relativamente à questão que nos coloca informamos que de facto a realização de um exame ancestral, remonta à ancestralidade (entre 20.000 a 120.000 anos atrás). O laboratório não lhe consegue dar informações recentes quanto aos seus antepassados por duas razões:

 

1. Não existe uma base de dados a nível nacional nem mundial que possamos fazer uma comparação (É proibido por legislação internacional);

 

2. Devido à facilidade de locomoção do ser humano, os ADNs existentes no mundo começaram por se juntar todos, sabemos que os primeiros grupos surgiram na África (acerca de 80.000 a 120.000 mil anos atrás) e rapidamente se alastraram por todo o mundo. A partir deste momento formaram-se clusters de ADN que é possível identificar a proveniência.

 

Após estes clusters de ADN (Haplogrupos) se começarem a juntar e a população na Terra a crescer, a mistura de ADN é muito grande e muito rápida, pelo que, todos os exames executados através do ADN que não tenham de base a ancestralidade é especulação;

 

O nosso objetivo  é deixar os nossos clientes satisfeitos.

 

Que tipo de informação pretendia obter de um exame realizado aos seus ancestrais?

 

O que é importante para o Sr. “Cliente” saber sobre os seus ancestrais?

 

Ficamos a aguardar uma resposta,

Atentamente,

 

Teste_de_ADN_Online

 

Cliente (Email - recebido)

 

Bom dia.

 A informação que eu esperava obter era por exemplo que tinha descendência 10% francês ou 5% Alemão 3% Grego.  (… ).

 

teste_de_paternidade_online

 

CódigoADN™ (email enviado)

 

Bom dia Sr. “Cliente”

Obrigado pelo seu email.

 

Relativamente à informação que nos solicita, de facto o nosso parceiro não executa esse exame, por se tratar de um exame que não é fiável e levanta questões éticas.

 

A empresa que executa esse exame é a 23andme está situada nos E.U.A. ( https://www.23andme.com) e esteve proibida de executar esses exames, (2010 a 2013/2014) devido a colher informações genéticas pessoais dos intervenientes e armazena-los em base de dados, assim como recolher características individuais (cor dos olhos, cabelo etc...) dos exames que executava.

 

Entretanto, após algumas revisões da legislação, a 23andme conseguiu novamente realizar esse tipo de exames no Reino-Unido, quando aos E.U.A. pensamos que também executa os exames que nos descreve, contudo continuam sobre vigilância apertada da F.D.A.;

 

A CódigoADN não detém nenhuma parceria com esta empresa, devido a estes exames recolherem informações sobre a predisposição para o desenvolvimento de doenças genéticas (como cancro, diabetes, etc...) das pessoas e porque a legislação portuguesa proíbe a execução deste tipo de exames em território nacional. Quando executados este tipo de exames devem ser apenas sobre determinado genoma específico e a pedido de um médico.

 

De facto lamentamos mas nem através dos nossos parceiros internacionais podemos executar este exame, visto que, para obter o exame que nos pede e utilizando os serviços da 23andme estaríamos indiretamente a consentir o armazenamento do seu ADN nos laboratórios da 23andme para comparação com outras pessoas a nível mundial.

 

Lamentamos que o nosso exame não corresponda às suas expectativas, gostaríamos que tivesse falado connosco para que lhe pudéssemos responder às suas questões antes da execução.

 

Relativamente ao que pretende o laboratório, disponibiliza-se a fazer um exame de Ancestralidade a grupos populacionais contudo não lhe conseguirá dar a percentagem de ADN que partilha por País, mas sim por continente.

 

Américo Indígena - Este Grupo é composto por pessoas que migraram para habitar a América do Norte, Sul e Central

Europeu - Este grupo incluí Europeus, Europa de Leste e Sul Asiáticos

Este Asiático - Grupo constituído por Japoneses, Chineses, Coreanos e ilhas do Pacifico

Africano - Este grupo incluí pessoas com raízes na região central de África

 

Se pretender executar este exame, por favor informe para lhe fazermos chegar um novo Kit para recolha de ADN, pois a amostra de ADN que nos enviou já foi destruída.

 

Disponíveis para qualquer outro esclarecimento,

Atentamente,

 

A CódigoADN aconselha que quando tenha dúvidas relativamente a qualquer exame, antes de efetuar a compra, fale com o o nosso apoio ao cliente.

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

contactos_codigo_adn

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Diferenças entre um exame de paternidade entre irmãos e um exame de paternidade entre meios-irmãos

Ler contributo inteiro: Diferenças entre um exame de paternidade entre irmãos e um exame de paternidade entre meios-irmãos

 

Um exame de paternidade entre irmãos/ meios-irmãos é executado quando um dos progenitores não está presente para a realização de um exame de paternidade ou de maternidade.

 

Estes exames podem ter três resultados diferentes:

  • Os dois irmãos não são filhos dos mesmos pais biológicos. Ou seja, não partilham a mesma mãe nem o mesmo pai biológico;
  • Os dois irmãos partilham apenas um dos progenitores em comum, a mãe ou o pai;
  • Os dois irmãos não partilham nenhum dos progenitores em comum;

Entenda que relativamente ao segundo resultado ( em que os irmãos paenas partilham um dos progenitores ) o laboratório não consegue identificar qual dos progenitores os irmãos partilham em comum. A única informação que o laboratório pode confirmar é que existe uma partilha de ADN de 50% entre estas duas pessoas (meios-irmãos). Contudo não consegue atribuir ao lado maternal, nem ao lado paternal essa partilha. Apenas se sabe que um dos pais é comum. Esta conclusão só pode ser tirada pelas pessoas que participam no exame.

 

Se tal não for possível e se nenhum dos parentes biológicos estiver disponível para a participação do exame, afim de se aferir qual o ADN em comum, podemos recorrer a tios maternais ou paternais de forma a averiguar qual dos progenitores é comum.

 

Contudo entenda que estes casos são bastante complexos e não é um exame habitual.

 

Os exames em laboratório normalmente já vêm definidos por parte do cliente:

 

Execução de um exame de paternidade entre irmãos: O cliente já tem a certeza que partilham a mesma mãe biológica e pretende apenas saber se partilham o mesmo pai biológico;

 

Execução de um exame de paternidade entre meios-irmãos: O cliente tem a certeza que os irmãos não partilham a mesma mãe biológica e pretendem saber se partilham o mesmo pai biológico;

 

Entenda que é muito importante para nós laboratório saber que tipo de exame estamos a fazer. Para o laboratório é diferente executar um exame de meios-irmãos ou um exame de irmãos;

 

irmaos

 

Passamos a explicar:

Quando é executado um exame de irmãos no laboratório este é numa primeira fase, executado através da exclusão do ADN maternal e depois apenas é executada uma comparação do ADN paternal;

 

Se estamos a executar o exame com dois alegados meios-irmãos, como não temos acesso ao ADN maternal, iremos fazer uma comparação total dos dois ADN de forma a encontrar uma equivalência de 50% de ADN, correspondente a um dos progenitores em comum;

 

Resultados de um exame, que probabilidade se pode obter?

 

Os resultados de um exame de teste de irmãos/ meios-irmãos nunca são tão expressivos a nível probabilístico como os resultados de um exame de paternidade, contudo, são exames conclusivos.

Os resultados serão sempre expressos em termos probabilísticos.

 

Uma probabilidade abaixo de 10% significa um exame negativo;

Num teste de paternidade de meios-irmãos se obtiver um resultado abaixo de 10% significa que os dois alegados meios-irmãos não partilham nenhum dos progenitores em comum;

Num teste de paternidade entre irmãos, se observar um resultado abaixo de 10% significa que os irmãos são meios-irmãos, que estes não partilham apenas um dos progenitores em comum.

 

Uma probabilidade acima de 90% significa um exame positivo;

Num teste de paternidade de meios-irmãos se observar um resultado acima de 90% significa que os dois alegados meios-irmãos partilham um dos progenitores em comum;

Num teste de paternidade de irmãos se observar um resultado acima de 90% significa que os dois alegados irmãos partilham progenitores em comum;

Ainda tem dúvidas quanto à realização de um exame de paternidade entre dois, ou entre dois alegados irmãos?

Entre em contacto connosco pelo nosso apoio ao cliente.

 

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

contactos_codigo_adn

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Como fazer um teste de paternidade, sem recorrer a um laboratório.

Ler contributo inteiro: Como fazer um teste de paternidade, sem recorrer a um laboratório.

 

A tecnologia de extração de ADN é relativamente recente, mas as dúvidas relativamente à parentalidade, já têm muitos anos.

 

O artigo de hoje tem como objetivo esclarecer, antes da existência dos testes de ADN como eram efetuados os vínculos biológicos, os testes de paternidade;

.

Compreenda que estes exames não são fiáveis, são baseados em dados estatísticos de forma a aproximar-se da de uma verdade que muitas vezes, estava errada.

 

Contudo, por vezes no apoio ao cliente somos confrontados com este tipo de perguntas, se através do grupo sanguíneo ou da cor dos olhos as pessoas podem verificar se existe um vínculo biológico entre si e o seu alegado filho.

 

Antigamente eram utilizadas 3 técnicas para comprovar um vínculo biológico.

  • A cor dos olhos
  • O grupo sanguíneo e,
  • O lóbulo das orelhas;

 

A Cor dos olhos num teste de Paternidade:

 

Cor_dos_olhos_teste_de_paternidade

 

Como pode verificar acima pela imagem, o que se pode concluir é que Pais de olhos claros azuis, nunca podem ter um filho de olhos escuros, contudo entenda que estes exames não são 100% fiáveis.

 

O grupo Sanguíneo num teste de paternidade:

 

 

grupo_sanguinio_teste_de_paternidade

Relativamente ao grupo sanguínio, deve fazer a correnpondência como de um "jogo de batalha naval" se tratasse, com o cruzamento de dois grupos sanguíneos terá a possibilidade do terceiro grupo.

Ou seja, Grupo Sanguínio Mãe com Grupo Sanguínio Pai dará o grupo sanguínio a amarelo da criança.

 

Veja o seguinte exemplo:

Se a mãe tem um grupo sanguínio B (a lilás) e o Pai tem o grupo sanguínio O (a azul) a criança a amarelo só pode ter o grupo B ou O. 

 

Verificação da distância do lóbulo:

 

orelhas_teste_de_paternidade

 

Relativamente a este ultimo teste o método diz que quando os dois pais tens os lóbulos das orelhas afastados a criança também deve ter os lóbulos das orelhas afastados da cabeça. Contudo se os pais tiver os lóbulos apertados, ou junto à cabeça, a criança pode nascer com o lóbulos afastados. Se um dos pais tem os lóbulos afastados e o outro juntos, a criança pode tomar qualquer uma das formas;

 

Agora que tem algumas ferramentas, pode identificar as diferenças, contudo lembre-se que estes exames eram utilizados porque não existia outra forma de verificar o vinculo biológico (fazer um teste de paternidade). Estes exames são falíveis e por vezes ocorrem mutações genéticas que invalidam a certeza destes exames.

 

Se ainda tem dúvidas quanto ao vinculo biológico que partilha, recorra a um teste de paternidade através do ADN este é o exame mais fiável e seguro que pode ser feito.

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

 

contactos_codigo_adn

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Como fazer a colheita de ADN sem utilizar o Kit de recolha de ADN da CódigoADN.

Ler contributo inteiro: Como fazer a colheita de ADN sem utilizar o Kit de recolha de ADN da CódigoADN.

 

O artigo desta semana visa sobretudo esclarecer os clientes da CódigoADN, que pretendam fazer a recolha de ADN sem a utilização dos nossos Kits.

Entenda que este procedimento apenas é possível para recolhas de ADN, pós-natais e não é recomendado.

Contudo por vezes existe a necessidade de efetuar a recolha de ADN e nesse momento não existe os devidos utensílios (Kit de ADN) para a recolha e transporte das amostras em segurança. Quando tal acontece é possível adotar uma solução “caseira”.

KIT_teste_de_ADN_Paternidade

 

Para “construir” um Kit para recolha de ADN caseiro,  deve deslocar-se a um centro comercial e deve fazer a aquisição dos seguintes items:

 

 - Embalagem de Cotonetes (se possível passar numa farmácia e adquirir zaragatoas em vez de cotonetes)

- Tesoura

- Dois envelopes de papel (Não pode conter janela, ou qualquer outro elemento de plástico)

- Rolo de Fita-Cola

 

Entenda que a parte mais sensível do Kit “caseiro” são os cotonetes, pois são um elemento não esterilizado. Contudo a não esterilização dos cotonetes não interfere no ADN. Se por algum motivo existir uma contaminação externa por outros elementos, neste caso, a CódigoADN™ irá pedir uma nova colheita de ADN - Não tem qualquer custo extra para si a submissão de uma nova colheita de ADN. Se está a utilizar zaragatoas adquiridas na farmácia não se tem que preocupar com esta questão.

 

Como preparar todo o Kit: (Envelopes)

 

Escreva no lado exterior do Envelope Nr. 1:

Alegado PAI

Nome do Alegado PAI: (Nome ou nome ficticio)

Data de Nascimento:

Raça: (Caucasiana - Branca, Negra, asiática, outra...)

Data da Colheita de ADN: 

 

Escreva no lado exterior do Envelope Nr. 1:

Criança

Nome da Criança:

Data de Nascimento:

Raça:

Data da Colheita de ADN: 

 

Após a conclusão do preenchimento dos envelopes passamos ao segundo passo;

 

No segundo passo, deve abrir a embalagem de cotonetes, atenção para não espirrar nem contaminar a embalagem de cotonetes com o seu ADN, as suas mãos devem estar limpas - "lavadas". O toque da nossa pele não transfere ADN (se não estiver suado), por isso não necessita de utilizar luvas;

 

Recolha 8 cotonetes da embalagem. A parte de algodão que tocou para extrair os cotonetes, será cortada com a tesoura ficando apenas a haste e a outra ponta de algodão do cotonete, pegue pela haste, não toque no algodão do lado oposto e efetue o esfreganço bucal segundo as instruções abaixo:

Zaragatoa_teste_de_paternidde

 

Instruções para a recolha de ADN na cavidade Bucal

 

teste_de_adn_2Abrir bem a boca. Inserir o cotonete na boca e esfregar vigorosamente para a frente e para trás, para cima e baixo na bochecha interior, durante 30 segundos. Rodar a zaragatoa enquanto esfrega – é importante recolher células em todo o cotonete.

NOTA: Uma amostra insuficiente poderá implicar uma nova recolha e atraso no envio do resultado.

 

 

teste_de_adn_3Colocar os cotonetes no envelope

Retire o cotonete da boca e coloque diretamente dentro do envelope respetivo. Tenha cuidado para que não entrem em contacto com nenhum tipo de plástico.

Repita o processo com o outro Cotonete. Use dois Cotonetes na bochecha interior direita e dois Cotonetes na bochecha interior esquerda. Assim que os quatro cotonetes tenham sido utilizados e colocados no respetivo envelope, feche o envelope com fita-cola (não sele com saliva).

 

Após fazer a recolha em todos os intervenientes, sele os envelopes com fita-cola e entre em contacto com o apoio ao cliente da CódigoADN™. Durante este processo iremos atribuir uma referência única dentro do laboratório às suas amostras, processar o seu pedido, entender o tipo de exame de ADN que pretende que se efetue dentro do laboratório e prosseguir com as restantes instruções para o envio das amostras ou entrega pessoal aos nossos balcões.

 

Teste de Paternidade Forense: (Cabelos, unhas, sangue seco, mancha de fluídos ou outro)

 

Se optar pela realização de um exame forense, o procedimento é igual ao descrito anteriormente, apenas dentro do envelope em vez de colocar os cotonetes irá colocar a amostra forense que pretende enviar (sele sempre o envelope com fita-cola, nunca com a sua saliva).

 

Se a amostra estiver dentro de um contentor (caso do sangue), neste caso as amostras devem ser transportadas em segurança até aos nossos balcões. Não envie por CTT amostras biológicas que podem contaminar pessoas que não estão habilitadas ao manuseamento das mesmas.

 

Qualquer dúvida não hesite e entre em contacto com o apoio ao cliente, trabalhamos em horário alargado de forma a responder a todas as necessidades dos nossos clientes.

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

 

contactos_codigo_adn

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Pontos de Recolha de ADN / Os parceiros da CódigoADN?

Ler contributo inteiro: Pontos de Recolha de ADN / Os parceiros da CódigoADN?

 

O artigo de hoje visa sobretudo demonstrar e clarificar o papel dos parceiros da CódigoADN na linha de execução dos testes de Paternidade.

 

Em primeiro queremos esclarecer que os parceiros com que trabalhamos estão devidamente acreditados e têm habilitações para o efeito (profissionais de saúde), seja de centros de enfermagem, a clinicas que tem profissionais de saúde que estão ligados ao instituto de medicina legal.

 

A CódigoADN tem como missão, dar a conhecer, a todos os que recorrem aos nossos serviços:

- o verdadeiro vínculo biológico entre as pessoas em testes.

 

Salientamos que temos o exame mais fiável a nível nacional, o nosso laboratório parceiro analisa sempre 20 marcadores genéticos e repete o exame duas vezes através de uma tecnologia patenteada.

 

Contudo conseguimos manter os preços baixos, devido às parcerias que efetuamos. Nunca efetuamos uma parceria onde as clinicas ou parceiros possam revender os nossos exames, colocando margens enormes em cima dos preços base do laboratório.

 

Os pontos de colheita de ADN estão comprometidos com o objetivo da CódigoADN: Fornecer um serviço de qualidade a preços acessíveis, para que todos possam saber quem de facto é o seu pai biológico.

 

Não estranhe em haver preços sempre em separado:

 O valor do exame e,

O valor do acto médico.

 

Pois, os pontos de recolha de ADN apenas são pagos pelo seu trabalho, ou seja, pelo valor da colheita de ADN.

 

Mantendo esta transparência a CódigoADN™ pratica os mesmos preços para todos. Sejam profissionais de saúde, clinicas privadas, farmácias, consumidor final ou hospitais. Os preços estão expostos na nossa webpage (página online) e garantimos que todos tenham o mesmo custo.

 

Entenda, que o papel destes pontos de recolha não é mais que a identificação e extração de ADN dos intervenientes.

 

Por vezes somos confrontados, com a seguinte questão: porque não posso fazer o pagamento direto nos centros de recolha de ADN e o fazem diretamente à CódigoADN por multibanco?

 

Ora esta razão deve-se ao facto de podermos salvaguardar que o valor cobrado é de facto o valor exposto por nós no nosso preçário e a separação de responsabilidades de ambas as entidades.

 

Somos os mais rigorosos possíveis na escolha dos nossos parceiros, acima de tudo, procuramos pessoas que estejam comprometidas, centros de enfermagem e clinicas que queiram marcar a diferença, que trabalham por algo mais que não a recompensa financeira.

 

Proporcionamos oportunidades a pequenos centros de enfermagem para que possam trabalhar com o maior laboratório do mundo. Trabalhamos com profissionais de saúde que querem mais e são mais. Que compreendem os níveis de ansiedade e a importância que um exame de paternidade exige.

 

A CódigoADN™ é diferente, escolhe pessoas diferentes e valoriza sobretudo as relações interpessoais, afinal estamos a lidar com várias vidas.

 

Esta é a razão da escolha dos nossos profissionais de saúde, pessoas que importam e que se importam com os outros.

 

Ao escolher, escolha qualidade, escolha o maior laboratório do mundo, faça o seu exame em laboratórios certificados com pessoas que se preocupam.

 

Para mais informações sobre os nossos parceiros de negócio ou sobre os nossos exames não hesite em contatar o nosso centro de apoio ao cliente, de segunda a sexta-feira das 09:00 às 20:00 aos sábados das 09:00 às 13:00.

 

Estamos sempre disponíveis para:

 

- Marcar a recolha de ADN com um profissional de saúde

- Esclarecer duvidas sobre a execução de testes de paternidade

- Questões jurídicas associadas aos exames de ADN

- Ou, outras questões que tenha sobre os exames de ADN

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Como posso realizar o meu exame pré-natal?

Ler contributo inteiro: Como posso realizar o meu exame pré-natal?

 

 

No artigo de hoje a CódigoADN responde à pergunta, como posso realizar o meu exame pré-natal? Ou seja, como posso executar o meu exame de paternidade durante a gravidez?

 

Este artigo visa sobretudo esclarecer 3 pontos essenciais ligados aos exames pré-natais, ou aos testes de adn durante a gravidez.

 

  1. Os riscos do teste de paternidade durante a gravidez .
  2. A partir de que altura pode ser feito o exame pré-natal?
  3. Onde pode ser executado e como mantemos a confidencialidade dos nossos clientes.

 

teste_de_adn_na_gravidez

 

 

PONTO 1

A partir de que altura pode ser executado o teste de paternidade durante a gravidez (pré-natal)?

 

Em primeiro , gostaríamos de deixar claro que o teste de pateridade durant a gravidez disonibilizado pela CódigoADN são todos não evasivos, ou seja, não necessitamos de liquido amniótico, ou outra intervenção evasiva de forma a colher o ADN fetal.

 

O exame pré-natal é não evasivo, sem qualquer risco para a mãe e para o bebé. Tudo o que precisamos é de uma colheita de sangue na mãe, pois o ADN do bebé está em livre circulação na corrente sanguínea da mãe, este é injetado através da placenta que protege o bebé.

 

Este procedimento, garante que apenas com a colheita de 14ml de sangue possamos extrair dois ADN: O ADN da mãe e o ADN fetal.

 

Logo, não existe qualquer tipo de risco nem para a mãe nem para o bebé, é um exame completamente seguro.

 

PONTO 2

A partir de que altura pode ser feito o exame pré-natal?

 

Como os laboratórios estão dependentes do desenvolvimento do feto, só podemos realizar este procedimento a partir da 8ª (oitava) semana de gestação, altura que já é possível fazer a deteção de ADN fetal na corrente sanguínea da mãe.

 

Por vezes, nas nossas clinicas parceiras acontece a extração na 8 semana, mas ainda não existe uma quantidade suficiente de ADN na corrente sanguínea da mãe, este facto deve-se à má contagem das semanas por parte dos nossos clientes, ou, pelo estado emocional da mãe.

 

A mãe desempenha um papel fundamental: se esta estiver nervosa, ansiosa e a oscilar entre estados emocionais extremos existe uma grande probabilidade de o seu organismo estar tão alterado que não nos é possível fazer a extração do ADN fetal.

 

No entanto, se tal facto acontecer a CódigoADN, sem nenhum custo extra para os nossos clientes, marca uma nova colheita de sangue na mãe.

 

O único custo que o nosso cliente tem é o custo do tempo, pois já não nos é possível cumprir o prazo de 7 dias úteis, para entrega dos resultados do teste de adn pré-natal. Quando nos deparamos com estes cenários, normalmente o exame é entregue em 14 dias úteis e não em 7 dias úteis.

 

Como já foi abordado em vários artigos anteriores, o laboratório parceiro e a CódigoADN não comprometem a fiabilidade do exame em função do tempo. Sabemos/ presenciamos e conhecemos a ansiedade que um exame envolve, contudo, em nenhuma situação podemos comprometer a fiabilidade do exame pré natal dando respostas aproximadas, quando uma resposta sai do nosso laboratório, pode ter a certeza que é com 100% de certeza.

 

PONTO 3

 

Onde pode ser executado e como mantemos a confidencialidade dos nossos clientes?

 

O nosso exame pode ser executado de duas formas (opções) distintas:

 

PRIMEIRA OPÇÃO:

Realizar o exame diretamente nos nossos pontos de colheita no PORTO/ LISBOA , para isso basta que entre em contacto com o apoio ao cliente para fazer a sua marcação;

 

SEGUNDA OPÇÃO

Realize o exame de forma totalmente confidencial, neste caso um profissional de saúde desloca-se à sua residência (cobrimos todo o território nacional incluindo ilhas), ou outra morada que nos indique, mantendo total sigilo dos intervenientes;

Se ainda tem duvidas quando ao nosso exame de paternidade pré-natal, ligue com o nosso apoio ao cliente, estamos aqui para o ajudar.

 

Atenção: Consulte sempre fontes independentes. Se detetar algum erro ou alguma imprecisão no decorrer da leitura, por favor envie-nos um email para info@codigoadn.pt com o relato.

 

 

contactos_codigo_adn

 

Veja todas as informações sobre os nossos testes de paternidade na gravidez no seguinte link: (AQUI)

Ler contributo inteiro
71 - 80 de 128 resultados