Imprimir

Posts neste tópico: Teste de adn

Blog, Noticias, Legislação e Recursos para testes de ADN - Código ADN


Recursos, Noticias, legislação e curiosidade sobre teste de adn e paternidade. Avanços na genética e nos testes de adn disponibilizados ao consumidor final. 

teste de paternidade

Publicado em por

Pode um teste de paternidade ser recusado? - CódigoADN

Ler contributo inteiro: Pode um teste de paternidade ser recusado? - CódigoADN

Um teste de paternidade de ADN é o método mais confiável para determinar se um homem é ou não o pai biológico de uma criança. O exame de paternidade/ Teste de ADN é o único documento de suporte que os tribunais usam em todo o mundo para estabelecer uma relação biológica.

Mas o que acontece se uma mãe ou um possível pai se recusar a fazer um teste de paternidade?

 

Aqui estão algumas soluções possíveis.

 

OBSERVAÇÃO: este artigo não pretende ser um conselho legal – tem o objetivo de apenas informar. Para obter orientação sobre sua situação específica, entre em contato com um assistente social ou um advogado especializado em direito de família.

 

Inicie uma conversa, sem envolver advogados. Sem tentar nunca saberá a resposta da outra pessoa.

Se possível, tente resolver o problema sem envolver um advogado. Os advogados geralmente são caros e os sentimentos envolvidos, quando a «intermediação» é realizada por um advogado é mais propensa a ter retaliações em forma de pedidos negados, arrastando o caso para o tribunal, onde ambas as partes podem sentir a necessidade de provar - «em público» - por que estão «certas».

 

Comece a conversa: muitas vezes, um casal que não está junto tem dificuldade em manter uma conversa civilizada, mas, como há uma criança envolvida é essencial falar honestamente sobre um teste de paternidade. Se a outra parte ainda não o tiver feito isso, inicie a conversa.

 

Tenha em consideração o ponto de vista oposto: mesmo que não concorde com o motivo pelo qual pretendem fazer um teste de paternidade, é essencial que se esclareçam as posições, tanto para benefício da outra parte como da sua. Desta forma, não há mal-entendidos ou confusões.

Também o ajuda porque pode adaptar os seus argumentos para que se resolvam todas as questões levantadas durante este diálogo. Por vezes existem razões ocultas por trás de um teste de paternidade, como o pagamento de uma pensão alimentar ou até mesmo a perda de tempo disponível com a criança, tenha uma conversa honesta e objetiva e identifique qual é a verdadeira razão para se estar a pedir um teste de paternidade.

 

Indique claramente o que o/a preocupa: se é uma mãe que suspeita que seu filho tem um pai diferente, explique que seu filho tem o direito a conhecer o seu passado genético, tanto por razões médicas quanto por herança. Se acredita que é o pai biológico, defina as suas razões pelas quais seria uma mais valia na vida da criança, financeiramente e emocionalmente.

 

Conheça a lei e use-a em seu benefício: Alguém pode recusar um teste de paternidade? Na maioria dos casos não.

Em último caso pode sempre recorrer aos tribunais com uma ação para determinar a paternidade, pois recusar um teste de paternidade ordenado pelo tribunal definitivamente não é uma boa decisão.

Em alguns casos, a pessoa que se recusa pode enfrentar multas ou outras acusações. Em último recurso, o juiz pode «decidir por» um julgamento (automático) padrão contra a pessoa que recusa o teste.

Quando está em posse de todas a informação e entende o que pode acontecer se o caso for a tribunal, pode usar esse conhecimento para reforçar os seus argumentos resolvendo a questão da paternidade fora de um caso litigioso.

 

Discutir a obtenção de um teste de paternidade legal em vez de um informativo: Um teste de paternidade legal pode ser pedido diretamente através de um laboratório de ADN sem ter que ir a tribunal, mas - ao contrário de um teste de paternidade informativo - os resultados são admissíveis em tribunal.

Se a outra parte não quiser comparecer a tribunal, quando este teste for utilizado, talvez não seja necessária a sua presença, para que exista uma sentença a seu favor.

 

Mantenha a conversa civilizada: faça o possível para permanecer calmo e sereno, mesmo que a outra pessoa não seja capaz de fazer o mesmo. Gritar nunca trás nada de positivo para nenhuma das partes, e perder a paciência pode realmente invalidar os seus argumentos aos olhos da outra pessoa. Pelo bem do seu filho, mantenha a calma.

 

 

Se tudo falhar: procure um advogado e peça o teste de paternidade pelo tribunal

 

Tentou mais que uma vez, mas não conseguiu convencer a outra pessoa a fazer o teste de paternidade. O que fazer agora?

Infelizmente, está a hora de contactar um advogado especializado em direito da família que possa ajudá-lo a levar uma ação a tribunal. A lei de paternidade varia de país para país, por isso certifique-se que escolhe alguém que tem experiência nesta área. Se o tribunal determinar que tem um caso legítimo, será o próprio tribunal a solicitar o teste de paternidade à outra pessoa.

 

Resumo

Negar um teste de paternidade é um obstáculo no seu caminho, mas não é o fim. Naturalmente é melhor resolver o problema sem ter que ir a tribunal, mas tem sempre opções legais, se não conseguir convencer a outra parte a executar o teste de ADN / paternidade.

Ler contributo inteiro
Publicado em por

Teste de ADN e as Moléculas - Testes de ADN 100% fiáveis

Ler contributo inteiro: Teste de ADN e as Moléculas - Testes de ADN 100% fiáveis

Um teste de adn, tem como principal objetivo o estabelecimento de uma relação biológica entre dois indivíduos. Contudo a análise do adn, ou o teste de adn, realizado a um individuo tem como principal objetivo o diferenciar de outro individuo, através de um grande número de características, dando-lhe uma identidade absoluta, como pessoa, podendo ser assim diferenciado entre biliões de pessoas.

A variabilidade, ou seja, o número de combinações possíveis de cada molécula do adn, em cada ser vivo é enorme. Dois genomas escolhidos ao acaso diferem em média 500 pares de base de adn. Como o genoma humano tem cerca de 3.109 pares de adn, isto implica 6 milhões de diferenças em apenas duas pessoas, escolhidas ao acaso.

No ser humano existe cerca de 50 mil genes para codificar o perfil de adn, só em proteínas. Isto representa cerca de 10% do total do genoma humano.

Para identificação de indivíduos é necessário a utilização de marcadores genéticos (regiões polimórficas). Quantos mais marcadores genéticos são utilizados maior a probabilidade de acerto do teste genético que se encontrar a decorrer.

A base para a utilização dos testes de adn, para identificação da individualidade humana, pelo estudo do adn, encontra-se na diversidade e polimorfismo dos diversos locus. Cada ser humano apresenta um cromossoma materno e um cromossoma paterno, para cada locus será possível identificar, no estabelecimento do vínculo biológico entre dois indivíduos um alelo de origem materno e um alelo de origem paterno.

Apontam os estudos que para o estabelecimento de um vínculo biológico, no mínimo 13 locus deverão ser utlizados, verificando o comprimento das sequências de base do adn, os alelos. A relação entre estes alelos é que vai evidenciar, ou não, se existe um vínculo genético entre as duas pessoas que estão a fazer o teste de adn. Após o estabelecimento do comprimento dos alelos são realizados cálculos estatísticos para determinar o número de vezes que esse perfil ocorre na população. A probabilidade de duas pessoas ter o mesmo comprimento no alelo e não ser relacionada biologicamente é de 6 Biliões.

Em outubro de 2011 (fonte: wikipédia), estimava-se que o mundo tinha cerca de 7 biliões de pessoas, ou seja, pode-se concluir “abusivamente” que se realizar um teste de adn, é possível que exista outro ser humano no mundo que partilhe o mesmo comprimento de sequência de base de adn.

Quais os testes de adn disponiveis?

    

Seleccione o seu Teste de adn

 Teste de Paternidade     Teste_de_Paternidade_Legal      Teste_de_Paternidade_escova_de_dentes      Teste_de_Paternidade_Unhas      Teste_de_Paternidade_com_Cabelo     Teste_de_paternidade_durante_a_gravidez

    T. Paternidade             T. Paternidade             T. Paternidade             T. Paternidade             T. Paternidade          T. Paternidade
      Saliva                                Legal                    c/ Escova Dentes                 c/ Unhas                   c/ Cabelos                     Pré-Natal

 

Ler contributo inteiro
Publicado em por

É possível ter 2 Perfis de ADN - Teste de ADN

Ler contributo inteiro: É possível ter 2 Perfis de ADN - Teste de ADN

O perfil de ADN é uma simples e rápida maneira de se comprar sequências de ADN de dois ou mais indivíduos. O teste de ADN é usado para casos de disputa por propriedades de linhagens, paternidade, determinação de sucessão em heranças, propriedades de órgãos construídos em laboratórios e identificação de cadáveres, entre outros…

 

Existem casos em que a mesma pessoa nasce com dois perfis de ADN, e não há ainda como confirmar esse facto. São casos extremamente raros, mas a ciência já diagnosticou a existência de pessoas portadoras de dois perfis de ADN, um diferente do outro.

 

Este fenómeno causa dificuldades da na solução de crimes ou estabelecimento da paternidade, pois a confirmação ou exclusão do envolvimento da pessoa, ou estabelecimento da relação biológica fica prejudicada, já que o ADN obtido através do sangue pode apresentar um perfil de ADN diferente do colhido em células do suspeito.

 

Este fenómeno deve-se ao facto de, durante a gestação, gêmeos não idênticos podem-se fundir no útero, formando um único embrião a partir de dois óvulos e dois espermatozoides com uma carga genética distinta e originar um individuo com dois tipos de células diferentes. O fenómeno é chamado de quimerismo, o termo quimera vem do grego que designava uma criatura mítica, parte leão parte serpente, parte bode.

 

Contudo, salienta-se que estes são casos muito raros e o teste de paternidade através do ADN é a prova mais definitiva no estabelecimento de uma relação biológica.

Perfil_de_ADN

 

A aquisição do ADN de um individuo é obtida pela análise de um determinado material genético que contenha ADN e o procedimento incluí 7 etapas:

  1. Colheita de ADN
  2. Isolamento de ADN
  3. Corte do ADN
  4. Separação dos Fragmento
  5. Transferência do ADN
  6. Hibridização de Sondas
  7. Perfil de ADN

 

A colheita pode ser qualquer: sangue, saliva, sémen, pelos, dentes, ossos ou qualquer tecido ou fluído de um individuo.

 

Todas estas amostras estão sujeitas a um processo de degradação através de vários fatores ambientais como (luz, elevadas temperaturas, químicos, substâncias corrosivas, ataque enzimático, contaminação/degradação por microorganismos, entre outras), todos estes fatores modificam a composição e a estrutura normal do ADN.

 

Outra forma de contaminação das amostras é através de outros seres humanos que estão ligados à colheita, mas não estão ligados diretamente à cadeia de eventos.

 

Dependendo da amostra, várias podem ser submetidas, como por exemplos células escamadas da epiderme da testa de um individuo deixadas em um chapéu, uma gotícula de saliva deixada em um telemóvel ou um selo de uma carta poderá conter ADN de um individuo.

 

Se ainda tem dúvidas sobre como submeter as suas amostras para um teste de paternidade, ou um simples teste de ADN para compração ligue com o centro de apoio ao cliente. 

Apoio_ao_Cliente_CodigoADN

Ler contributo inteiro